Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

querida C.,

   Da próxima vez que falares sobre o teu cabelo em dias de nevoeiro, sobre como ele supostamente fica todo frisado com a humidade e... ai!, que drama, o que hás-de fazer com ele?, assegura-te de que eu estou bem longe de ti, ou a hipótese de te pontapear, esmurrar, sufocar e torturar - verbal e fisicamente, claro - tornar-se-á uma hipótese bastante tentadora para a minha pessoa. Tais consequências também se aplicam aos teus ataques de histerismo, pseudo-sabichonisse ou gritos desnecessariamente agudos e altos, quando, por exemplo, uma simples lagarta dos pinheiros cai do tecto e aterra no meu estojo.


   Quem te avisa, tua amiga é - ou simplesmente procura a paz no mundo.


 


Com muito ódio e irritação,


Beatriz

yeah! (3x)

Já vou no terceiro impresso para os exames nacionais. Raios partam as assinaturas... são SEMPRE as assinaturas!


 


 




(não é que eu goste particularmente desta música, mas o seu nome aplica-se inteiramente à minha actual situação)

afinal, quem é a Beatriz?

   Devido ao nome e ao conceito do meu blogue, sinto que quem o lê pode interpretar-me de maneira errada. Por isso, pela primeira vez, quero apresentar-me (in)formalmente.


 


   Olá a todos. O meu nome é Beatriz, como já se devem ter apercebido, tenho dezasseis anos e penso demasiado - em tudo. Mais do que a maioria das pessoas, tenho uma necessidade constante de reflectir sobre os acontecimentos mais banais ou de os partilhar.


   No início, o objectivo deste blogue era apenas livrar-me de más energias e pensamentos, como um desabafo. Estava a passar por uma fase em que coloquei muito em dúvida e em que imensas coisas na minha vida estavam a mudar (ou eu pensava que estavam). Já tivera alguns blogues anteriormente, uns mais duradouros que outros, mas nunca encontrara um propósito para eles. No entanto, com este blogue, fui concluindo, pouco a pouco, que um blogue pessoal é O QUE NÓS QUISERMOS. Sim, este é um blogue pessoal.


   E o que entendo eu por blogue pessoal? Para mim, não tem de ser algo sobre um tema específico. Não sou obrigada a escrever sobre música, sobre a vida, o amor ou a amizade. Se me apetecer, posso contar o quanto detesto mostarda, mas o quão deliciosos ficam os molhos condimentados com ela, ou posso simplesmente dizer mal das minhas aulas de Matemática. Não interessa sobre o que tratam as minhas publicações. Interessa sim que eu me sinta satisfeita com o escrevo, nem que seja tudo uma data de porcarias.


   Mas pronto... Já me estou a desviar do assunto...


   Durante os seus primeiros meses de vida, este blogue teve uma imensidão de nomes, completamente despropositados e deprimentes, na maioria, em inglês. Credo. Felizmente, foi sol de pouca dura e há uns meses que surgiu a ideia de "procrastinar também é viver". Porquê? Porque é, de um ponto de vista geral, o que eu faço neste blogue. Por vezes, estou a estudar, a fazer trabalhos ou a trabalhar num projecto, só que nada disso me parece apelativo no momento. Então, quase irreflectidamente, lembro-me de vir escrever qualquer coisa. Escrever é a minha cena. Em meia dúzia de frases, sinto-me aliviada e, a partir daí, sinto-me melhor e mais preparada para regressar à tarefa anterior. O que dois meros minutos de procrastinação podem fazer! A mim, são capazes de me aliviar o espírito, principalmente se eu souber que deixo alguém a sorrir, quando lê estas simples banalidades.


   Não, eu não sou, de todo, preguiçosa. Lá porque adio certas tarefas por alguns momentos, ou porque tenho tendência a passar demasiado tempo no Facebook, no Youtube ou no blogue, não quer dizer que seja alguém inútil e sem objectivos de vida. Na verdade, sempre fui uma aluna excelente, uma amiga presente e só eu sei o quanto gosto da minha família. O meu presente objectivo é, para o ano, entrar no curso de Ciências da Cultura, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com uma média de 17 valores. Profissionalmente, gostaria de enveredar pelo jornalismo, pela área editorial ou pelo ensino, em última análise.


 


   E agora, o que vos parece? Espero ter correspondido às vossas expectativas. Parece que, afinal, têm andado a ler o blogue de uma rapariga séria, hein? (NOT)


 


Bom fim-de-semana!

Pág. 1/4