Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

vingança moral

Quando vejo a foto de um casal feliz, penso logo "queridos, vocês não vão durar". Quer dizer, a menos que sejam meus amigos. Se o forem, limito-me a sentir uma enorme inveja deles e a esperar que me convidem para madrinha de casamento. Sou a típica forever alone assumida, workaholic, enterrando-me no estudo, na escrita, no blogue e nos concursos literários para me lembrar de que ainda possuo alguma sanidade mental. Alguma.

a vingança do coxo

Espero sinceramente que, mesmo depois de eu morrer, existam milhares e milhares de alunos portugueses a estudar as minhas obras literárias de fio a pavio. Sou uma jovem sedenta de vingança. Blame it on Eça. O senhor tinha muito talento e admiro-o imenso, pelo seu contributo para nossa língua, mas digamos que A Cidade e as Serras é absolutamente aborrecida, ao contrário d' Os Maias. Também já me estou a preparar para, a partir do ano que vem, deixar de gostar de Fernando Pessoa. Devia ser proibido transformar em estudo obrigatório aquilo que nos poderia dar prazer.

acerca dos cursos profissionais

Sinto-me tãããão arrependida por ter escolhido um curso de continuação de estudos no ensino secundário. Voltasse eu dois anos atrás no tempo e Línguas e Humanidades jamais faria parte do meu leque de escolhas. E tanto queria eu tirar um curso de Comunicação! Agora, olha... Só falta mais um ano para a universidade e mudar de ideias já não é uma opção viável, nesta altura. Raios parta o cliché "pessoas que têm boas notas não devem ir para cursos profissionais, que isso é coisa de gente burra". Not anymore, people, not anymore.

BOM DIAAAA!

Acordei com o ribombar da trovoada. Levantei-me na cama, depois de ouvir algumas musiquinhas que me ajudaram a abrir os olhos ao dia, desci as escadas e dirigi-me à cozinha. Pelo meio do caminho, encontrei o Dinky, ensopado em medo dos trovões, que correu a fugir para a cama mais próxima, a da minha avó. Arrastei-o de lá, o bicho todo desorientado, e assumi a derrota - levei-o para o meu quarto. Lá o fiz deitar em cima da manta, para não sujar o édredon, e dirigi-me, uma vez mais, à cozinha. Vi uma frigideira cheia de bifinhos de porco e molho de bifinhos de porco. Meti aquilo ao lume e, dentro de três minutos, já me estava a regalar com um pequeno-almoço de trezentas mil calorias, quatrocentas, quinhentas, bifinho no pão, pão no molho, tudo para a boca*, e a minha avó que nem venha queixar-se que eu não como e que estou tão magra que um dia desapareço. Sinto-me 200% preparada para o fim-de-semana de estudo intensivo.


 


* Não aconselhável a estômagos sensíveis ou a pessoas com a mania que estão gordas. Eu tenho desculpa porque sou um bicho devorador de 46,5kg!

os infiéis

Apercebi-me de que muitos dos meus seguidores apenas o eram na esperança de que os adicionasse de volta. Como não o faço, acabam por me eliminar. Pois isso comigo não pega, porque eu não pretendo que me sigam o perfil por interesse, mas sim porque gostam do que escrevo ou mostro no meu blogue. Também não sou rapariga de me pôr a adicionar os outros somente por agradecimento. Se gosto, gosto; se não gosto, desculpem lá qualquer coisinha,  não é nada pessoal, mas o meu tempo é precioso e sou uma leitora exigente. É só.

Pág. 1/8