Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

2 anos a procrastinar

 

Este blogue completa as suas duas primaveras no dia de hoje! Iupiiiii! Eu até diria aquelas frases cliché como "ei, parece que ainda foi ontem que comecei aqui a escrever, sobre as minhas aventuras e desventuras emocionais e amorosas (falhadas)", mas não. Para mim, isso deve ter acontecido algures noutra encarnação. Eu cresci e este blogue cresceu. Enfim, a minha escrita cresceu! E contem com terem de aturar o meu permanente crescimento durante muitos mais anos, porque eu não faço tenções de sair daqui, não senhora. Eu gosto de procrastinar. Espero que vocês também não se importem de o continuar a fazer. Parabéns a mim, ao blogue, a vocês!

Considerem-se com um estômago cheio do bolo acima apresentado, cujo interior será pão-de-ló recheado com doce de ovo e amêndoas. O exterior é de massa-pão. Agora, façam de conta que nunca comeram um bolo tão bom na vossa vida. Aí está, parabéns outra vez!

Oh, Taylor, filha...

É o que dá namorar com músicos. Já não basta eles serem uma cambada de totós com a mania que são bons, de guitarra ao ombro e voz de conquistadores, e tu ainda vais nas cantigas deles, Taylor. Literalmente. Lá porque escrevem, cantam e tocam benzinho, não quer dizer que sejam particularmente bons partidos. Vá lá, eles têm montes de fãs histéricas atrás e, se não as têm, acham que sim (eu sei, Taylor, eu sei, porque "noutra vida" já fui como tu). Têm o rei na barriga e tu tens é de crescer. Olha lá, Taylor, tomara eu ter o dinheiro e o sucesso que tu tens, a ver se me preocupava com rapazolas com problemas de afirmação da sua masculinidade... Ai, é que não me apanhavam mesmo! (Até porque eu já tenho um namorado decente e de quem gosto muito, muito obrigada.)

 

Primeiro, foi com o Joe Jonas, agora a saga do John Mayer nunca mais acaba... Deixa-te de coisas, rapariga. Sonsos há muitos e, se tu não tens cuidado, ainda ficas mais sonsa do que eles.

 

ETAPA 1: cantam juntos, borboletas, sorrisinhos e tal...




ETAPA 2: acabam e tu escreves músicas lamechas, mais ou menos provocatórias.



ETAPA 3: eles mandam-te à fava ou desejam-te uma boa vida... com outra música.




Oh Taylor, filha, tens de quebrar o ciclo! Pelo amor da santa, antes que fiques mas é encalhada...

Só têm até amanhã!

Com mudanças de Sapo para Blogger, e de Blogger para Sapo, até parece que nos perdemos... Mas não! Portanto, nada de se esquecerem de responder, até AMANHÃ (ou hoje, uma vez que já passa da meia-noite), à pergunta que foi colocada há cerca de dois meses no Facebook (o pódio do blogue estava avariado): "o que atrai mais rapaz/homem no corpo de uma rapariga/mulher?". Basta seguirem esta ligação e clicarem nas opções com que mais se identificarem. Nada de sentimentalismos, ok? Isto é apenas um estudo pseudo-científico cujo objectivo é esclarecer o sexo feminino e fazer um levantamento do que temos que trabalhar mais este Verão no ginásio e mostrar mais na praia (ou esconder, sabe-se lá). Toca a mexer os dedinhos, minha gente!

Motivo de insónia

Preocupações? Com a minha idade e em tempo de férias, nenhumas.
Cérebro excitado por estar demasiado tempo à frente da televisão e do computador? Fora de questão, ou não tivesse eu passado o dia fora de casa.
Digestão problemática, será...? Nem por isso - já jantei há um tempo.
E este calor, e este calor?? Aguenta-se, que é para isso que o Verão servr.

Carìssimos, o que eu tenho é uma grande e dolorosa borbulha nas costas.

Dos outros #31

"Porque é que uns, poucos, tinham sapatos e outros, a maior parte, não?

Perguntei isso ao professor e ele ficou atrapalhado. Perguntei em casa e ficaram incomodados. Fiz muitas vezes essa pergunta. E de cada vez que a fazia sentia que estava a fazer uma pergunta inconveniente. Nunca ninguém me respondeu e continuo, de certo modo, a perguntar.

Porque ainda sinto o frio da escola. Ainda sinto o cheiro a pobreza, o pouco. Foi sobretudo isso que aprendi, além da gramática, das contas, da História Pátria, dos rios, das serras e das linhas de caminho-de-ferro. Aprendi a conjugar os verbos e nunca foi preciso o professor Lencastre virar-me de cabeça para baixo. Mas a quem tenho eu de agarrar pelos pés e bater com a cabeça no chão para que de uma vez por todas me digam porque é que uns usavam sapatos e outros não?"

 

Manuel Alegre, Alma

Assalto no Parque da Bela Vista

Os Bon Jovi actuaram ontem em Portugal. Os bilhetes custaram entre 59 e 99 euros. Na reportagem do telejornal da SIC, até houve espectadores que disseram ter pago 99€ e que acabaram por ficar ao lado dos que pagaram o bilhete mais barato. Nem sequer o cenário de palco desta digressão (um carro) foi utilizado no Parque da Bela Vista.

 

Hoje, os Bon Jovi actuarão em Espanha, a custo 0.

 

Como assim, a custo 0??? - perguntam vocês.

 

Em Espanha, os bilhetes custam apenas de 14,50€ a 35,50€, ou seja, está incluído apenas o aluguer do espaço, pelo que suponho. Segundo o site da SIC Notícias, "O cantor decidiu abdicar de qualquer verba em virtude da crise económica [!!!] que se vive no país vizinho. Bon Jovi diz que esta é uma maneira de agradecer aos fãs espanhóis os últimos 30 anos de apoio incondicional".


Não nego a existência de uma crise económica em Espanha, porque é óbvio que ela existe, mas será que Portugal está rico e nós nem sequer sabemos??! É que só pode, para os "nossos" bilhetes terem sido tão caros...

Podemos afirmar, deste modo, que os fãs portugueses foram voluntariamente assaltados pela banda multimilionária.

Amigas improváveis (mas não o filme)

Para a Carolina, a quem tenho esperança de poder vir a chamar de "amiga" durante muito tempo, e de quem recebi hoje o seguinte conjunto de presentes, todos eles mencionados na minha lista de desejos de aniversário (só não esperava que satisfizesse tantos!).



Conheci a maioria dos meus amigos na escola ou através de colegas. Não se pode dizer que seja uma maneira particularmente invulgar de os conhecer. No entanto, esta amizade sobre a qual vos escrevo travou-se de uma forma bastante fora do comum, pelo menos, dada a sua essência, que eu julgo e espero ser das mais sinceras... e que venha a durar. Esta amizade começou na blogosfera.


É verdade... Foi graças a este mesmo blogue, este-zinho, onde se encontram estas palavras - que vocês lêem no preciso momento em que já estão a ler a próxima, e outra e outra - que a Carolina me conheceu. Ela também tinha (e tem) um blogue, mas raramente escrevia alguma coisa (até que deixou de escrever, de todo, até ao mês passado). Ainda permanecemos uns bons tempos sem chegarmos a um diálogo concreto. Lá muito de vez em quando, ela deixava por aqui um comentário - nada mais.

Mas não nos esqueçamos doutro factor fundamental - a Fórum Estudante. Tanto ela como eu somos animadoras, pelo que [a modos que] nos conhecemos no primeiro encontro deste ano lectivo, no final de Outubro. Assumo que, no primeiro impacto, fiquei a olhar para ela e a pensar "eh pá, aquela não é a Carolina Helena dos blogues...? É que dá mesmo ares à rapariga!", mas, dispassarada como sou, até podia ter visto o Tarzan sem cuecas, pois continuaria na minha onda sem dar importância ao caso.

Entretanto, sem termos trocado muito mais diálogo do que o de circunstância em Outubro, os meses passaram e, progressivamente, lá recomeçou a Carolina a comentar o meu blogue de vez em quando. Em Maio, por fim, a Fórum Estudante organizou um novo encontro, em que, aleluia, eu e a ela partilhámos conversas com pés e cabeça, ora com outros colegas, ora só nós as duas.

Como em todas as relações, independentemente da sua natureza, há sempre um momento em que ouvimos um clique e pensamos "ena, eu gosto desta pessoa!". O meu clique acerca da Carolina deu-se quando, na volta para Lisboa, partilhámos lugares conjuntos no autocarro, e comecei a ouvi-la. E, sempre que eu tentava contar-lhe algo inédito sobre mim, ela respondia "eu sei, eu leio o teu blogue", com um ar meio divertido, meio enfadado (digo eu), que me embaraçou de certo modo, de tão apalermada que devia estar a parecer (vulgo, o meu estado normal). E eu abria a boca e a resposta era sempre a mesma, chegando quase ao ponto de ser irritante. Raios, uma leitora atenta e com boa memória, materializada ao meu lado, a cinco centímetros de distância - e que me deve ter observado a dormir com a boca aberta durante uma hora de viagem! Desse fim-de-semana em diante, o contacto aumentou. A moça até passou a escrever mais no seu próprio blogue e, assim, eu pude ir retribuindo alguns comentários que ela também me deixava (cada vez mais frequentemente).

Foi nesse contexto de comentário aqui e comentário ali que a Carolina, no dia anterior ao meu aniversário, comentou a tal publicação com a lista de possíveis prendas de aniversário que eu gostaria de receber, pedindo-me a minha morada a fim de me enviar a sua "contribuição". Ora, em quase dois anos de blogue, nunca ninguém havia tido para comigo tamanho desplante. Sim, desplante! Um desplante bom, ainda assim, e a Carolina não descansou (nem eu esperava que ela descansasse) enquanto não lhe dispensei a informação pretendida. Por outro lado, eu também sou humana e, atendendo à minha condição, gosto de prendas, pelo que não me custou nada ceder, não é verdade?

 

Contudo, há prendas prendas. Há prendas que se dão porque sim e outras que se dão com vontade, dependendo sempre da intenção da pessoa que as oferta. Ora, a Carolina enviou-me um marcador, um saco de gomas e um livro que era dela, com - suponho - valor emocional. A acompanhar, seguia uma carta. Já ninguém escreve cartas, o que é uma pena, mas a Carolina escreveu-me uma, em que me chama sua amiga. Perante tal amabilidade, resta-me retribuir-lhe com a minha amizade de volta. É toda dela! [É toda tua, Carolina!] 

Quando lhe expressei o meu inigualável agradecimento via chat do Facebook, ela respondeu que "as boas pessoas atraem coisas boas". Apesar de eu não estar segura de ser a melhor pessoa do mundo, estou contente por tê-la "atraído". Não sei que bicho lhe picou para me ter em tão elevada conta e ter gostado de mim, mas fico absolutamente lisonjeada por ser a nova amiga de alguém tão simpático, humilde, despretensioso e inteligente como ela.

 

O pacote só chegou hoje e foi uma das melhores prendas de aniversário tardias que já recebi, sem dúvida. Obrigada! :)

 

***

 

Nota 1: o blogue da Carolina - http://coucoucaroline.blogspot.pt .

Nota 2: esqueci-me de mencionar outro saco de gomas que recebi doutra amiga minha nesta publicação. Os restantes amigos que festejaram comigo o meu aniversário acabaram com ele em menos de nada.

Eu reservo-me ao direito

A autora deste blogue reserva-se ao direito de procrastinar o tempo que lhe apetecer, quando lhe apetecer (excepto em dias úteis de período escolar, pronto…).

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de não obter culpas no cartório se algum dos seus leitores procrastinar mais do que deve e acabar por não fazer nada da sua vida.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de não adoPtar o Acordo Ortográfico, porque ele parte de um acordo político e não da evolução natural da língua portuguesa.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de incentivar ao gosto pela leitura e pela literatura em publicações do tamanho de elefantes.

 

[Já agora, a autora deste blogue reserva-se ao direito de não chamar posts às malditas publicações.]

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de fuzilar telepaticamente quem quer que seja que não valorize o Saramago (ou qualquer outro vulto de semelhante ou aproximada envergadura) ou que ache que o suprassumo da literatura mundial é a Margarida Rebelo Pinto, a Nora Roberts, o Nicholas Sparks ou a Stephenie Meyer (antes não gostar de ler, vade retro!).

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de responder sarcasticamente aos comentários de leitores mesquinhos.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito, por outro lado, de exaltar as inumeráveis qualidades dos seus leitores fofinhos – são todos muito boa gente e a autora deste blogue nutre por eles um enorme carinho e respeito.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de aqui mencionar muitas vezes os seus amigos, que são assim qualquer coisa fora do comum e ela adora-os.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de venerar por escrito o senhor seu namorado e de apregoar o quanto o ama, em qualquer altura ou circunstância, porque ele é, de facto, uma criatura fantástica. A autora deste blogue pede desculpa se perturbar algum leitor forever alone e deixa-lhe, desde já, os maiores desejos para que encontre um par igual ao seu num futuro próximo.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de ouvir música pop, critiquem ou não, A autora deste blogue gosta de quase tudo, exceptuando dubstep e música techno, desde música clássica ao Eminem, passando pelo country e isso jamais mudará (isto é uma indirecta para a pessoa mencionada no parágrafo anterior, se é que ele me entenda).

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de relatar “o mais ínfimo pormenor” da sua vida escolar whenever she wants to, e de se lamentar de como é árdua a vida de estudante.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de gostar da escola, e até de estudar, desde que não seja em quantidades industriais, uma vez que isso destrói o ego, a criatividade e, principalmente, os miolos.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de exibir as prendas que por vezes lhe oferecem e os livros, sapatos e roupas que compra com o seu próprio dinheiro.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de se vangloriar por ganhar algum dinheiro legitimamente seu através dos prémios literários que vai arrecadando.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de escrever e publicar textos lamechas, se for isso que tem vontade de fazer.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de praguejar em contextos de revolta, tristeza ou quotidiana palermice.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de começar a incluir temáticas mais promíscuas nas suas intervenções.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de ter como referências A Pipoca Mais Doce e a Ursa Pólo Norte – ela mesma gostaria de se tornar um misto das duas no mundo blogosférico.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de se queixar, de quando em vez, da sua falta de inspiração.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de partilhar com os seus leitores as suas ansiedades e expectativas de vida.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de publicitar outros blogues do seu agrado (não tão bons quanto o seu, mas… ela está a brincar, ok??).

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito (e dever!) de responder à maioria dos comentários que recebe, sendo tal actividade uma das suas preferidas na procrastinação assistida por computador.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de publicar fotos das suas pernas e pés, enquadrados numa qualquer actividade de lazer, só para fazer espécie (de tipo saudável, atenção) aos seus leitores.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de festejar quando o seu blogue aparece nos Recortes ou nos Destaques dos Blogs do Sapo.

 

A autora deste blogue reserva-se ao direito de escrever listas como esta, para melhor informar os seus leitores acerca das suas tendências procrastino-blogosféricas.

Estou nos destaques, upa upa!

E, pelo segundo ano de exames nacionais consecutivo, os recortes do Sapo acham por bem destacar a minha humilde opinião na matéria! Clap, clap, clap! No ano passado, foi sobre o (terrível) exame de MACS, enquanto este ano foi História A - o primeiro pelo mal que trouxe e o segundo pelo bem que poderá vir a trazer. Parece-me justo!

 

 

 

Foi destes "empurrões" que eu senti falta durante a minha procrastinação na plataforma Blogger. Quando uma pessoa começa a pensar "eh pá, não escrevo nada de jeito, ninguém quer saber do meu blogue" (aspas, aspas), acontecem coisas destas. O Sapo é tão mais ligado à comunidade, tão mais humano e pessoal, que é impossível não querer continuar por estas bandas, uma vez aprendida a lição (eu aprendi a minha). Não encarem isto como publicidade gratuita, mas sim como um conselho de uma utilizadora assídua das redes sociais e da blogosfera: apostem nos Blogs do Sapo, nem que seja porque é mais fácil eu comentar o vosso blogue. Nem que seja porque, quando dão por vocês, a vossa página está destacada na página inicial da plataforma.

Ex.mos professores correctores,

Segundo as minhas contas baseadas nos critérios de avaliação, disponibilizados pelo GAVE, do exame de História A, resolvido esta tarde, a 25 de Junho de 2013, terei um 17,5 certinho. Tenham a gentileza de conferir milhares de vezes as vossas até baterem certo com as minhas, para que eu tenha exactamente a nota de que preciso para subir o meu 16 a História A e entrar em Ciências da Comunicação na FCSH, sem recorrer à segunda fase.

 

Muitíssimo agradecida.

 

Pág. 1/5