Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Nota à blogosfera

Ando a adiar esta publicação há demasiado tempo. Há muito a ser dito, mas poucas palavras para o expressar, por isso aqui vão as melhores que tenho.

 

Desde que vim morar para Bangkok, a minha vida tem sido uma constante de desconforto, descobertas e avalanches várias. No semestre passado, trabalhei, literalmente, até às lágrimas. Sete dias por semana. Nos dias supostamente livres, tinha de planear aulas. Ao fim de semana, era eu a estudante.

 

Assim, sei que muita coisa na minha vida mudou. Foi tudo um bocado de repente, atabalhoado, daí o choque ter sido maior. Tenho batido muito com a cabeça em paredes de vidro esse aço, tenho-me esfolado toda nesta aventura. Há dias mesmo muito maus, e outros muito bons. Os meus alunos fazem-me sorrir, dando-me segurança acerca da qualidade do meu trabalho. Nem tudo são rosas: há mesmo, mesmo dias em que só me apetece ir embora JÁ.

 

No entanto, no meio de toda esta comoção, da falta de tempo ou de paciência ou de tema para escrever no blogue, vocês continuam desse lado. Alguns já vêm de tempos anteriores e mais pacíficos, outros terão chegado agora ou há pouco tempo, mas cada "favorito", cada ligação, cada comentário e cada e-mail valem mil dias de praia!

 

Obrigada.
Obrigada, tantas vezes.

img1503505057641.jpg

 

Viver num país exótico não tem de ser necessariamente uma experiência exótica todos os dias, areais paradisíacos, rooftops privilegiados e massagens. Desde que cá cheguei, tenho-me sentido a andar com uma nuvem à frente do nariz. Tenho tanta mensagem por responder, tanto comentário a que não dei seguimento. Estou agora a sair desta nuvem, pouco a pouco, porque sei que dia se melhores virão. Estou optimista. A vida só me tem dado chocolates nos últimos anos e uma das provas disso até é este blogue. Esta nuvem vai desaparecer! Vai-me deixar ser positiva e voltar ao estado alerta.

 

Obrigada, outra vez. Obrigada por continuarem a ler o que eu escrevo, ainda que seja tão escasso. Obrigada por me fazerem querer produzir conteúdo cada vez melhor e explorar temas diferentes.

 

Este blogue é muito especial para mim, porque é o meu projecto pessoal há SEIS ANOS! Eu sei, não parece muito, mas isso é para aí metade da minha vida, se não contarmos com as fraldas e a escola primária. Tenho muito orgulho no que faço aqui, porque não é pago nem patrocinado por nada (se bem que um dinheirinho extra vem sempre dar um jeitão), mas mesmo assim eu continuo a voltar e a tentar melhorá-lo. O que eu escrevia quando o criei não tem, claramente, nenhuma semelhança com o que para aqui vai agora, mas olhem... É bestial poder ver essa evolução, na escrita, na pessoa, nos interesses, nas transições...

 

Então pronto, era só isso: obrigada!

A boa filha à casa retorna!

Caramba, ainda há uns meses saí daqui, e cá estou eu de volta... Confesso que tive saudades do Sapinho e que não lhe podia negar a honra de voltar a ter o meu blogue na sua plataforma, onde me destacou e recortou tantas vezes para a página inicial! Eu também gosto muito dele e a modos que a coisa se proporcionou (sistemas de importação e exportação de blogues super práticos, obra de um tal anfíbio super competente), além de que a maioria dos bons blogues portugueses se andam a deslocar para estes lados, pelo que aproveitei a onda de (re)mudança de lar para fazer as malinhas e adieu, Blogger feio, que me mostrou o seu melhor lado nos primeiros tempos, mas que acabou por se revelar um autêntico traste (qual namorado desnaturado, belhac). Por enquanto, é normal que encontrem algumas anomalias, de que são exemplo algumas publicações repetidas, devido à configuração de importações/exportações. A maior vantagem é, por fim, conseguir reunir todo o conteúdo de procrastinação: tanto o que permanecia neste endereço (ainda no Sapo, desde Junho de 2011), quanto o deste (Blogger, a partir de Novembro de 2012 até agora).

 

Ora bem, a boa filha à casa retorna e esperemos que seja desta vez que assenta arraiais definitivamente!

Desculpem lá o mau jeito e, não se esqueçam, será aqui, no endereço http://fuiprocrastinar.blogs.sapo.pt/ que voltarei a escrever.

Continuem a procrastinar!

The Versatile Blogger Award

Bem, bem... parece que as correntes voltaram às terras procrastinadoras!
Desta vez, trata-se de um selo, The Versatile Blogger Award, para que fui indicada pela Quadrada, que nomeou o meu blogue para continuar a marcar outros quinze e apontar sete factos sobre a minha mui ilustre figura.

Então, aqui vai disto!
  1. Sou blogódependente e julgo não existir reabilitação para este bicho. Aguentem-se!
  2. O primeiro livro que li com mais de cinquenta páginas foi o Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban, por volta dos nove anos.
  3. Sou fã de Harry Potter desde o momento em que o comecei a ler.
  4. Sou meia-asiática.
  5. Quando eu tinha três anos, a Britney Spears lançou o seu primeiro álbum, a minha mãe tinha-o e o meu passatempo preferido foi, até deixar de viver com ela, dançar e cantar HIT ME BABY, ONE MORE TIME!!! em frente ao espelho.
  6. Já quis ser actriz e/ou cantora.
  7. O número máximo de likes numa foto de perfil minha (no Facebook) é 37.

Como sou difícil de agradar, não conheço 15 blogues que mereçam a distinção. Portanto, eis a lista dos meus seis favoritos, escritos por pessoas que não têm nenhum livro publicado (não ordenados por preferência):
  1. Caderno de Pensamentos (o blogue da Quadrada, herself)
  2. A Última Bolacha
  3. Não Revelo as Minhas Fontes
  4. Produto Oficial Não Licenciado
  5. Quadripolaridades
  6. Entre Parêntesis

Blogosfera, a quanto obrigas...!

Ainda há pessoas neste mundo que pensam que manter um blogue é fácil. Inocentes, é o que eu lhes chamo. Também já fui como eles - e não há muito tempo (plágio ao spot publicitário de uma certa marca de ice tea). A melhor parte é que, apesar do trabalho que algo mais ou menos bem feito nos dá, acabamos por ficar sempre muito satisfeitos e com o ego alimentado. (E, se há coisa que um autor de blogues gosta, é do ego cheio!)

Agora, ide responder ao inquérito na barra lateral, parte de um elaborado estratagema para eu arranjar cobaias para o meu novo negócio de tráfico de menores... é que eu não ganho a vida a escrever em blogues cor-de-rosa, 'tá?!

fui procrastinar para o Blogger!

Traidora, traidora, traidora!, pensam vocês. Logo eu, que me dizia tão apologista do Sapo, tinha de abandonar as minhas origens sapianas...! Mas, como já vos tinha avisado anteriormente, não resisti a tentar desbravar terras do Blogger/Blogspot, tentando pregar a ideologia procrastinadora noutros lados. Pesados os argumentos a favor de cada uma das plataformas, optei pela mudança. Fui influenciada principalmente pela quantidade de utilizadores inscritos no Google e pela consequente visibilidade dos blogues. Também me guiei por algumas das opiniões de outros entendidos na matéria da blogosfera, nomeadamente através de comentários que me foram deixando, e pela experiência de que, no Sapo, é menor a quantidade de blogues conhecidos e até os que são estupendamente bem escritos não têm o destaque que merecem.

 

Portanto, aqui vos deixo a nova morada - http://fuiprocrastinar.blogspot.com/. Espero que, ainda assim, continuem a seguir o que publico. Teria muito gosto em continuar a escrever para os leitores que já me são familiares (e eu a eles)! O blogue é o mesmo, os conteúdos nem poderiam ser diferentes e até já estou a tratar de copiar todas as 866 publicações que aqui havia efectuado até hoje para lá (concluídas todas as deste mês de Novembro, tal como as primeiras quarenta e tal, daquelas que ainda evidenciam a minha eminente lamechice), visto que não as consegui importar directamente. Desse modo até poderão aceder a todas elas, excepto os respectivos comentários - infelizmente, esses têm de ser sacrificados. Apenas o URL foi alterado para algo mais simples e contextualizado.

 

Ah... E, para que não arranjem desculpas, volto a indicar: http://fuiprocrastinar.blogspot.com/.

 

Obrigada, queridos leitores! Que estes últimos dezasseis meses de procrastinação no Sapo vos tenham feito muito felizes!

fui procrastinar para o Blogger!

Traidora, traidora, traidora!, pensam vocês. Logo eu, que me dizia tão apologista do Sapo, tinha de abandonar as minhas origens sapianas...! Mas, como já vos tinha avisado anteriormente, não resisti a tentar desbravar terras do Blogger/Blogspot, tentando pregar a ideologia procrastinadora noutros lados. Pesados os argumentos a favor de cada uma das plataformas, optei pela mudança. Fui influenciada principalmente pela quantidade de utilizadores inscritos no Google e pela consequente visibilidade dos blogues. Também me guiei por algumas das opiniões de outros entendidos na matéria da blogosfera, nomeadamente através de comentários que me foram deixando, e pela experiência de que, no Sapo, é menor a quantidade de blogues conhecidos e até os que são estupendamente bem escritos não têm o destaque que merecem.

Portanto, aqui vos deixo a nova morada - http://fuiprocrastinar.blogspot.com/. Espero que, ainda assim, continuem a seguir o que publico. Teria muito gosto em continuar a escrever para os leitores que já me são familiares (e eu a eles)! O blogue é o mesmo, os conteúdos nem poderiam ser diferentes e até já estou a tratar de copiar todas as 866 publicações que aqui havia efectuado até hoje para lá (concluídas todas as deste mês de Novembro, tal como as primeiras quarenta e tal, daquelas que ainda evidenciam a minha eminente lamechice), visto que não as consegui importar directamente. Desse modo até poderão aceder a todas elas, excepto os respectivos comentários - infelizmente, esses têm de ser sacrificados. Apenas o URL foi alterado para algo mais simples e contextualizado.

Ah... E, para que não arranjem desculpas, volto a indicar: http://fuiprocrastinar.blogspot.com/.

Obrigada, queridos leitores! Que estes últimos dezasseis meses de procrastinação no Sapo vos tenham feito muito felizes!

[ORIGINALMENTE PUBLICADO EM: http://beatriizhelena.blogs.sapo.pt/223786.html]

Sapo vs. Blogger

Ao longo da minha vida blogosférica, já criei para lá de cinco blogues, sendo este mesmo em que vossas excelências se encontram o que tem sobrevivido durante mais tempo (quase um ano e meio). Entretanto, fui alojando-os, à laia da experiência, ora no Blogger, ora no Sapo, ora no Wordpress. Este último é uma porcaria e não o recomendo a ninguém, a menos que gostem de um bom e complicado desafio, porque Wordpress que se preze é isso mesmo: complicado. O Blogger não é mau; no entanto, quando criei o "Procrastinar", ainda só tinha o meu computador velho, lento que só ele, e tudo o que era sistemas do Google ainda o enfermizava mais, daí ter escolhido o Sapo, que sempre me parecia algo mais ligeiro. Porém, agora que já tenho um computador capaz de executar qualquer tarefa com eficiência, vejo-me inclinada entre as duas plataformas, Sapo ou Blogger, Blogger ou Sapo. Cada um deles tem características igualmente apelativas e, certamente, os seus inconvenientes também. O que menos me atrai no Sapo é a escassez de blogues de qualidade, em comparação ao Blogger; o que mais me atrai é a possibilidade de ser destacada na página inicial, como já tem acontecido. O que menos me atrai no Blogger é o sistema de publicação e edição; oque mais me atrai é a quantidade de pessoas que lá circula, ou seja, promissores seguidores. Se repararem, todos os blogues com número de seguidores para lá de mil estão alojados no Blogger, e a sua visibilidade parece-me, no geral, bastante grande. Por pouco não tenho cedido a uma mudança, ainda por cima tendo descoberto recentemente as maravilhas da importação e exportação de blogues (que ainda não sei como efectuar). 

No meio deste indecisão toda, penso que, um dia destes, vou definitivamente procrastinar para outros lados. O mais difícil será arranjar um novo URL de jeito, visto ter sido parva o suficiente para arranjar um nome blogosférico cheio de acentos.

(Texto escrito quando o blogue se encontrava alojado em http://beatriizhelena.blogs.sapo.pt .)

Sapo vs. Blogger

Ao longo da minha vida blogosférica, já criei para lá de cinco blogues, sendo este mesmo em que vossas excelências se encontram o que tem sobrevivido durante mais tempo (quase um ano e meio). Entretanto, fui alojando-os, à laia da experiência, ora no Blogger, ora no Sapo, ora no Wordpress. Este último é uma porcaria e não o recomendo a ninguém, a menos que gostem de um bom e complicado desafio, porque Wordpress que se preze é isso mesmo: complicado. O Blogger não é mau; no entanto, quando criei o "Procrastinar", ainda só tinha o meu computador velho, lento que só ele, e tudo o que era sistemas do Google ainda o enfermizava mais, daí ter escolhido o Sapo, que sempre me parecia algo mais ligeiro. Porém, agora que já tenho um computador capaz de executar qualquer tarefa com eficiência, vejo-me inclinada entre as duas plataformas, Sapo ou Blogger, Blogger ou Sapo. Cada um deles tem características igualmente apelativas e, certamente, os seus inconvenientes também. O que menos me atrai no Sapo é a escassez de blogues de qualidade, em comparação ao Blogger; o que mais me atrai é a possibilidade de ser destacada na página inicial, como já tem acontecido. O que menos me atrai no Blogger é o sistema de publicação e edição; oque mais me atrai é a quantidade de pessoas que lá circula, ou seja, promissores seguidores. Se repararem, todos os blogues com número de seguidores para lá de mil estão alojados no Blogger, e a sua visibilidade parece-me, no geral, bastante grande. Por pouco não tenho cedido a uma mudança, ainda por cima tendo descoberto recentemente as maravilhas da importação e exportação de blogues (que ainda não sei como efectuar). 

 

No meio deste indecisão toda, penso que, um dia destes, vou definitivamente procrastinar para outros lados. O mais difícil será arranjar um novo URL de jeito, visto ter sido parva o suficiente para arranjar um nome blogosférico cheio de acentos.

blogging

Eu não sou tão refilona em pessoa como quando escrevo no blogue. Talvez vocês me achem “barulhenta” e demasiado crítica ou, por outro lado, carismática e extremamente divertida, mas haverá sempre esse fosso na vossa ideia sobre alguém que só conhecem através da escrita num blogue de segunda categoria. Na dita vida real, eu não mostro sarcasmo tão frequentemente quanto aqui nem passo três quartos da minha existência a queixar-me disto e daquilo, muito menos costumo ser tão confiante. A verdade é que, neste meio, existem duas maneiras de se chegar aos leitores: ou nos fazemos passar por meninos bonitos, simpáticos e politicamente correctos (e obtemos um público que também finge sê-lo, apenas pelas regras da boa educação), ou escolhemos a via alternativa, que é expressarmos tudo o que nos vai na alma, sem restrições ou complicações, sendo nós próprios e apresentando uma personalidade vincada ao máximo (deste modo, também podemos esperar mais transparência da parte de quem nos segue, não os pressionando para que se sintam moralmente obrigados a responder bem porque é o mais certo de se fazer). Pois eu nunca fui habituada a fingir o que não sou e podem crer que sou tudo menos conformista! No que toca à minha escrita, tento que seja o mais verdadeira possível para comigo própria. No que toca ao meu blogue, a mesma coisa. Afinal, passo algumas horas por dia a vaguear por estes lados, o que resulta em que parte de mim seja enterrada por terras blogosferianas. Pelas razões mencionadas, decidi enveredar pela segunda opção, após alguns meses a experimentar a primeira. Aos poucos, fui achando-a cada vez mais desenxabida e sem cor, sem interesse - não que, neste momento, eu escreva melhor ou pior; apenas mudei o meu estilo de abordagem. Quero que me amem ou que me odeiem, mas não que fiquem indiferentes. Quero suscitar a curiosidade dos menos curiosos e a atenção dos menos atentos. Oxalá seja capaz de cativar os mais desinteressados e de proporcionar bons momentos de leitura aos que vão descobrindo estas paisagens, a pouco e pouco! Oxalá a minha escrita o permita!