Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Dez perguntas de gaja a que (ainda) não tenho resposta

1 - Qual é a diferença entre fazer o risco nos olhos com lápis ou com eyeliner?

2 - É normal cair-nos imenso cabelo sempre que o lavamos?

3 - A esteticista tem nojo de nós quando aparecemos todas peludas e pensa mal das nossas pessoas por termos sido badalhocas e nos termos desleixado de tal forma?

4 - É aceitável e frequente faltar-nos a paciência para exterminar a nossa monocelha em insistente crescimento?

5 - Os saltos altos são desconfortáveis por natureza, quem os usa sofre horrores e sacrifícios ou sou só eu que não acerto na marca e na sapataria certas e que, enfimm sou uma anormalóide com pés de homem?

6 - As leggings podem usar-se por baixo de vestidos sem nos deixarem pirosonas?

7 - Os enroladores de pestanas não as enfraquecem?

8 - Aquilo de dizerem que, se fizermos a depilação com cera, obtemos duas semanas sem pêlos, é a mais pura das mentiras - não é?

9 - Os cremes que supostamente retardam o crescimento dos pêlos funcionam ou é só marketing? E não fazem mal à pele?

10 - Uma senhora a sério que se preze não come nem se maquilha nos transportes públicos?

Nova forma de depilação entra no mercado!



Caríssimas... de que me queixava eu no outro dia, afinal? Uma pessoa aqui com um matagal nas pernas (not anymore, finalmeeeeente!), porque a cera dá muito trabalho e a esteticista leva o couro e o cabelo, e na volta há mais soluções de depilação por explorar. Ora, por favor... não me digam que nunca vos passou pela cabeça tratarem do assunto com um rico maçarico, ali mesmo à moda antiga, e pegar fogo à pelagem. Para quê a tecnologia, se as ferramentas de outros tempos (e de outros trabalhos) são a resposta para problemas tão actuais quanto a premente necessidade de depilação definitiva? E, ainda por cima, este método de depilação caseira é obra de um português - e o que é nacional é (supostamente) bom.

Depois não me venham mais dizer que eu não divulgo a actividade empreendedora do país, porque é mentira! Este blogue é super tuga-patriótico, 'tá bem?!