Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

O SAPO (inspira-me) pediu a sugestão de uma leitura para o Verão, mas é mais barato aos pares.

28.07.11 | BeatrizCM

E eu respondo, sem dúvida, os dois livros mais cliché-chique que já li na minha vida:


 


Princesas de Nova Iorque - um drama muito engraçado sobre uma Herdeira-Loura-Falsa-Milionária e a sua Melhor-Amiga-Que-Acaba-Com-O-Menino-Bonito-da-História. Com um final docemente inesperado.


 


Até que ele nos separe - fiquei tão impressionada e senti-me tão dentro da própria história que já pedi desculpa antecipadamente à minha melhor amiga se vier a dormir com o noivo dela na noite do meu 30º aniversário. Não fazia a mínima ideia de que tinham feito recentemente uma adaptação cinematográfica do romance COM A KATE HUDSON até procurar uma imagem do livro, o que me obriga automaticamente a tentar obter (provavelmente, fazendo batotice na Internet) o bem dito filme nas próximas 36 horas.


 



 


 


 


 


 Boas leituras, girls!

. incrivelmente nostálgica .

27.07.11 | BeatrizCM

Estive a ler as publicações anteriores e comecei a reflectir sobre elas...

 

   É com extrema admiração que me vejo obrigada a concluir que nada do que escrevi na altura corresponde ao que escreveria neste momento. É incrível, o que as pessoas de cabeça quente são capazes de exprimir - raiva, ódio, negação, obcessão pelas três primeiras, ... - e, quanto mais tento compreender o Meu-Eu-De-Cabeça-Quente, menos o compreendo. Melhor, compreender é fácil, mas perceber como cheguei àquele ponto de negatividade já é mais complicado.

   Num feliz momento de bom senso, eu nunca odiaria ninguém - sublinho, NUNCA. Porém, a verdade é que, nos últimos tempos, ando a questionar-me demasiado sobre coisas bastante triviais. O que é amar? ; o que é odiar? ; será que amo? ; será que odeio? ; será que não consigo viver sem ___ ? ; qual a diferença entre adorar e amar? ; porque é que me sinto tão confusa? ; o que me trouxe a este estado? 

 Mais uma vez, nada disto faz sentido.

 


. incrivelmente nostálgica .

26.07.11 | BeatrizCM

Estive a ler as publicações anteriores e comecei a reflectir sobre elas...


 


   É com extrema admiração que me vejo obrigada a concluir que nada do que escrevi na altura corresponde ao que escreveria neste momento. É incrível, o que as pessoas de cabeça quente são capazes de exprimir - raiva, ódio, negação, obcessão pelas três primeiras, ... - e, quanto mais tento compreender o Meu-Eu-De-Cabeça-Quente, menos o compreendo. Melhor, compreender é fácil, mas perceber como cheguei àquele ponto de negatividade já é mais complicado.


   Num feliz momento de bom senso, eu nunca odiaria ninguém - sublinho, NUNCA. Porém, a verdade é que, nos últimos tempos, ando a questionar-me demasiado sobre coisas bastante triviais. O que é amar? ; o que é odiar? ; será que amo? ; será que odeio? ; será que não consigo viver sem ___ ? ; qual a diferença entre adorar e amar? ; porque é que me sinto tão confusa? ; o que me trouxe a este estado? 


 Mais uma vez, nada disto faz sentido.


 




. i . don't . know . [dúvida existencial]

17.07.11 | BeatrizCM

É possível sentirmo-nos completamente aparvalhados, sorrirmos para o nosso reflexo no espelho quando nem nos penteámos, saltar que nem doidos, dançarmos ao ritmo e sem ser ao ritmo da música, não conseguirmos adormecer e nunca pararmos de sorrir sem estarmos obrigatoriamente, digamos... APAIXONADOS?!

 

E será normal sentir medo, não sei bem de quê, que seja cedo demais para tal acontecer, depois de determinados acontecimentos passados, medo de arriscar, medo de sermos apanhados por estas sensações várias, infantilidades de gente crescida?

 

... i don't know, but i like it, baby ...

Pág. 1/3