Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Dream inception - o triste desfecho

Depois de lhe contar acerca das minhas aventuras nocturnas, a minha avó (a real, não a do sonho) disse-me que, com tanta especulação inconsciente acerca das raspadinhas, era melhor eu passar pela papelaria com que tinha sonhado, a da estação de comboios, e jogar uma depois de vir da faculdade - só por descarga de consciência, não fosse o sonho consistir nalgum palpite camuflado de uma entidade superior com a estranha vontade de me endinheirar (c'mon, eu mereço e vocês bem sabem, cof cof). Infelizmente, não tinham raspadinhas de 2€, como as do sonho. Só havia um único tipo, das de 1€.

 

Óbvio que não ganhei nada. Continuo euzinha: universitária, sem dinheiro e com azar ao jogo - porém, com muita sorte ao amor, à amizade e à quantidade de ligações nervosas. Sou uma espécie de Floribela, sem a parte das flores e das músicas foleiras: rica em sonhos, mas pobre em ouro.

Estou tanto para o futebol quanto o meu cabelo está para o loiro

Como já se devem ter apercebido, neste blogue deixou-se passar tudo o que foi o Eusébio a quinar (só por esta expressão, já vou ser excomungada da blogosfera - e de Portugal) e Cristiano Ronaldo a tropeçar nas palavras comovidas quando recebeu a sua bolinha dourada. Vocês já sabem como é que eu sou: não falo do que não sei, do que não conheço, e detesto futebol com todo o meu ser. Os únicos momentos da minha vida em que estive mais perto de não o odiar foi quando o joguei, marquei golos e defendi golos, tudo isto sem levar com nenhuma bola em cima, um autêntico feito. 

Portanto, não, a Beatriz abstem-se de tecer comentários à la Sócrates. Não percebo nada do assunto nem quero ter nada que ver com ele. Eu sei, sou uma portuguesa terrível, uma tuga ainda mais vergonhosa e devia ser vaiada em toda a minha condição e esplendor de ignorante do desporto rei, ou lá o que lhe chamam. Porque pior do que não gostar de futebol é não entender quem gosta de futebol ou quem dá pontapé na bola e desencanta uns milhões de euros por ano.

 

Dream inception

Esta noite foi para sonhar. Neste caso, sonhei demasiado.

Sonhei que tinha ido às raspadinhas de 2€. Raspei uma e saiu-me um prémio de 120 000€. Mas, depois, sonhei que acordei e que era só um sonho: ainda estava à porta da papelaria. Então, viro-me para a minha avó e digo-lhe "tenho um pressentimento de que vou ganhar um grande prémio se raspar aquela raspadinha que está ali". E raspei. E lá consegui o prémio de 120 000€. Já estava eu a pensar que ia conseguir pagar todos os meus estudos (e mais alguns) e acabar de liquidar o empréstimo da casa, a contar à minha avó o sonho de onde tinha vindo o tal pressentimento, quando acordo. E tive, OUTRA VEZ, exactamente o mesmo sonho. Pronto, esse foi o último sonho, dentro do sonho que estava dentro do sonho, mas acho que ainda voltei a adormecer a acreditar que a minha conta bancária tinha ganho mais uns zeros.

 

O mais estranho foi, em todos os sonhos, estarem a pagar-me o prémio das raspadinhas em boletins limpos do Euromilhões. Sonhos...