Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Pára-choques precisa-se

Ter aparelho nos dentes não é pêra doce. Também não é amarga, mas chamar-lhe doce está fora de questão. Como é óbvio, trará os seus benefícios inegavelmente visíveis ao fim de cerca de dois anos, três ou quatro que sejam, benefícios esses que ficarão para a vida, enquanto continuarmos a tratar bem da nossa boca. Por outro lado, enquanto o tempo de tratamento não chega ao fim, é chato. É mesmo chato.
Pessoalmente, tenho sorte por raramente ficar com dores após ir trocar os arames e os elásticos todos os meses ao dentista. Com isso, não tenho sofrido grandemente. Sempre que lá apareço, o homem diz-me que "vai meter um arame mais forte e que vai doeeeeer", mas a mim custaram-me mais os arames fraquinhos do que estes que tenho colocado nos últimos meses.
Uma vez, estava a comer uma tosta mista e o arame soltou-se do encaixe, o que me valeu umas quantas arranhadelas na bochecha e na gengiva até, dois dias depois, ter ido à clínica que fica perto da minha casa reapertá-lo de urgência. A partir daí, comecei a evitar tudo o que é alimento estaladiço ou um pouco mais rijo, um conselho que me haviam dado no dia em que tinha metido o aparelho, mas de que eu me esqueci - inconscientemente, devo tê-lo ignorado.
De resto, não tenho razões de descontentamento maior. Não gosto de Coca-Cola nem de pastilhas elásticas, duas guloseimas pelas quais o pessoal (pelo menos o cumpridor) de sorriso metálico se mataria para voltar a saborear. E, apesar de adorar gomas, não sou viciada nelas e consigo moderar-me, uns dias melhor do que noutros - vou-me aguentando.
Alguns amigos meus que passaram ou que estão a passar pela ingrata época do aparelho, tal como eu, costumam ter imensos problemas com comida presa em tudo quanto é dente e arame. Às vezes, a boca deles fica um nojo e conseguem ver-se amostras de uma dieta diária inteira apenas com um sorriso. Já eu, não sei bem por feito de que arte, não sofro desse mal e não preciso de estar a escovar os dentes a cada meia-hora. Ainda não tenho aparelho no maxilar de baixo, mas tenho uma barra palatina no céu da boca (os primeiros dias com ela foram uma agonia, que nem engolir eu conseguia!!!), e as baixas expectativas que guardava para a higiene da minha boca foram surpreendentemente superadas com muito mais sucesso do que julguei - uma vitória, juro-vos!

O primeiro inconveniente a apontar e que, mesmo assim, não me incomoda por aí além, é o meu maxilar inferior, por não ter aparelho até ao próximo mês de Outubro ou Novembro, estar a ficar recuado em relação ao maxilar superior - apesar de eu mal me aperceber, os arames têm realmente força e estão a fazer bem o seu trabalho - pelo que é imperativo que mos consigam alinhar assim que possível.
O segundo inconveniente, que não tem que  ver directamente com a colocação do aparelho, sendo mais a causa de o ter posto, é ter um canino a rebentar-me no céu da boca, devido ao incompetente do seu homónimo de leite que não quis cair e ficou a emplastrar a cena. Para lhe colocar uma mola como as que tenho nos outros dentes, ligada às restantes, vou ter de ser operada no Verão. Espero que não se impressionem facilmente, mas vão ter de me rasgar o céu da boca e levar-me 160€ assim duma assentada - e o conteúdo susceptível de vos chocar é mais o custo da operação do que propriamente o sangue envolvido.
O segundo inconveniente, aquele que já apresenta uma relevância alarmante, é o meu aparelho ser o causador de diversas e frequentes aftas na boca do senhor meu namorado. Sim, está bem, o arrebatamento (COUGH, VIOLÊNCIA) dos meus beijos não ficará, decerto, impune neste assunto, mas fogo, uma pessoa apaixonada não olha a aparelhos que arranham e magoam o seu compincha do amor. Num momento de entusiasmo, uma pessoa apaixonada está-se pouco lixando para ninharias tão "pouco" importantes quanto ter um perigoso abre-latas na boca.

Pois, e é isto. É muito engraçado ter um sorriso metálico todo colorido, etc e tal, mas só quem o tem é que sabe o que lhe saberia bem! Eu cá contentava-me com um desconto do género "ponha um aparelho, leve um pára-choques para a sua cara-metade!".

6 comentários

Comentar post