Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Amigas improváveis (mas não o filme)

Para a Carolina, a quem tenho esperança de poder vir a chamar de "amiga" durante muito tempo, e de quem recebi hoje o seguinte conjunto de presentes, todos eles mencionados na minha lista de desejos de aniversário (só não esperava que satisfizesse tantos!).



Conheci a maioria dos meus amigos na escola ou através de colegas. Não se pode dizer que seja uma maneira particularmente invulgar de os conhecer. No entanto, esta amizade sobre a qual vos escrevo travou-se de uma forma bastante fora do comum, pelo menos, dada a sua essência, que eu julgo e espero ser das mais sinceras... e que venha a durar. Esta amizade começou na blogosfera.


É verdade... Foi graças a este mesmo blogue, este-zinho, onde se encontram estas palavras - que vocês lêem no preciso momento em que já estão a ler a próxima, e outra e outra - que a Carolina me conheceu. Ela também tinha (e tem) um blogue, mas raramente escrevia alguma coisa (até que deixou de escrever, de todo, até ao mês passado). Ainda permanecemos uns bons tempos sem chegarmos a um diálogo concreto. Lá muito de vez em quando, ela deixava por aqui um comentário - nada mais.

Mas não nos esqueçamos doutro factor fundamental - a Fórum Estudante. Tanto ela como eu somos animadoras, pelo que [a modos que] nos conhecemos no primeiro encontro deste ano lectivo, no final de Outubro. Assumo que, no primeiro impacto, fiquei a olhar para ela e a pensar "eh pá, aquela não é a Carolina Helena dos blogues...? É que dá mesmo ares à rapariga!", mas, dispassarada como sou, até podia ter visto o Tarzan sem cuecas, pois continuaria na minha onda sem dar importância ao caso.

Entretanto, sem termos trocado muito mais diálogo do que o de circunstância em Outubro, os meses passaram e, progressivamente, lá recomeçou a Carolina a comentar o meu blogue de vez em quando. Em Maio, por fim, a Fórum Estudante organizou um novo encontro, em que, aleluia, eu e a ela partilhámos conversas com pés e cabeça, ora com outros colegas, ora só nós as duas.

Como em todas as relações, independentemente da sua natureza, há sempre um momento em que ouvimos um clique e pensamos "ena, eu gosto desta pessoa!". O meu clique acerca da Carolina deu-se quando, na volta para Lisboa, partilhámos lugares conjuntos no autocarro, e comecei a ouvi-la. E, sempre que eu tentava contar-lhe algo inédito sobre mim, ela respondia "eu sei, eu leio o teu blogue", com um ar meio divertido, meio enfadado (digo eu), que me embaraçou de certo modo, de tão apalermada que devia estar a parecer (vulgo, o meu estado normal). E eu abria a boca e a resposta era sempre a mesma, chegando quase ao ponto de ser irritante. Raios, uma leitora atenta e com boa memória, materializada ao meu lado, a cinco centímetros de distância - e que me deve ter observado a dormir com a boca aberta durante uma hora de viagem! Desse fim-de-semana em diante, o contacto aumentou. A moça até passou a escrever mais no seu próprio blogue e, assim, eu pude ir retribuindo alguns comentários que ela também me deixava (cada vez mais frequentemente).

Foi nesse contexto de comentário aqui e comentário ali que a Carolina, no dia anterior ao meu aniversário, comentou a tal publicação com a lista de possíveis prendas de aniversário que eu gostaria de receber, pedindo-me a minha morada a fim de me enviar a sua "contribuição". Ora, em quase dois anos de blogue, nunca ninguém havia tido para comigo tamanho desplante. Sim, desplante! Um desplante bom, ainda assim, e a Carolina não descansou (nem eu esperava que ela descansasse) enquanto não lhe dispensei a informação pretendida. Por outro lado, eu também sou humana e, atendendo à minha condição, gosto de prendas, pelo que não me custou nada ceder, não é verdade?

 

Contudo, há prendas prendas. Há prendas que se dão porque sim e outras que se dão com vontade, dependendo sempre da intenção da pessoa que as oferta. Ora, a Carolina enviou-me um marcador, um saco de gomas e um livro que era dela, com - suponho - valor emocional. A acompanhar, seguia uma carta. Já ninguém escreve cartas, o que é uma pena, mas a Carolina escreveu-me uma, em que me chama sua amiga. Perante tal amabilidade, resta-me retribuir-lhe com a minha amizade de volta. É toda dela! [É toda tua, Carolina!] 

Quando lhe expressei o meu inigualável agradecimento via chat do Facebook, ela respondeu que "as boas pessoas atraem coisas boas". Apesar de eu não estar segura de ser a melhor pessoa do mundo, estou contente por tê-la "atraído". Não sei que bicho lhe picou para me ter em tão elevada conta e ter gostado de mim, mas fico absolutamente lisonjeada por ser a nova amiga de alguém tão simpático, humilde, despretensioso e inteligente como ela.

 

O pacote só chegou hoje e foi uma das melhores prendas de aniversário tardias que já recebi, sem dúvida. Obrigada! :)

 

***

 

Nota 1: o blogue da Carolina - http://coucoucaroline.blogspot.pt .

Nota 2: esqueci-me de mencionar outro saco de gomas que recebi doutra amiga minha nesta publicação. Os restantes amigos que festejaram comigo o meu aniversário acabaram com ele em menos de nada.

5 comentários

Comentar post