Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

"Carpe diem"

2013 foi um ano que passou num ápice, apesar das mil e uma coisas que aconteceram. Foi o ano em que, pela primeira vez, não quis crescer e quis parar o tempo nalgumas alturas. Fartei-me de snifar todas as pessoas de quem gosto e fui pseudo-pedida em casamento no supermercado, no corredor dos cereais. Fartei-me de escrever, sem dizer nada em concreto ou chegar a alguma conclusão. Continuo sem ter escrito um livro até ao fim, mas ganhei mais um prémio literário. Li 50 livros do princípio ao fim. Trabalhei no duro, não tive férias e entrei na faculdade. Arranquei a minha vida universitária com notas bombásticas, super motivada e feliz (ainda que cansada). Não tive pena de mudar de vida. Não tive pena de mudar de cenário. Não tive pena de dizer adeus às pessoas a quem já me habituara. Só tive pena de não me ter tornado na pessoa que fui em 2013 mais cedo, lá para 2010 ou 2011 – ambiciosa sem o ser em demasia, mais exigente com os outros e menos comigo mesma, despreocupada, mais concentrada nos meus objectivos e, por conseguinte, mais feliz. Fiz tantos planos para o futuro, que nem me lembro da maioria… Agarrei-me ao Ricardo, à minha avó e aos meus amigos como acho que nunca tinha agarrado. Também agarrei imensas oportunidades. Ganhei uma bolsa de mérito de uma fundação, para pagar as propinas. Mantive este blogue num bom caminho e, por causa dele, fui entrevistada para um artigo de destaque numa revista de um jornal conhecido. Isto é, só tive tempo para o que é importante, porque estive sempre muito ocupada a aproveitar a vida.

 

A continuar com este ânimo, 2014 só pode melhorar, não é verdade?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.