Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Beijos s/ fotogenia

A minha rica sogra adora fotografias em que o respectivo casal esteja a dar um beijo - apaixonado, na boca, daqueles que envergonham quem quer que esteja num raio de 20km, mesmo à Hollywood. Desde que me lembro de namorar com a minha criatura que me sinto pressionada para ceder aos desejos da sua mãe, porque ela é uma pseudo-sogra a valer, não daquelas sobre as quais reza a história pelos piores motivos, e merece todo e qualquer capricho que me esteja à mão concretizar, contribuindo para o seu bem-estar.

Escapei-me durante mais de um ano. Até ao baile de finalistas me escapei (com muita pena dela), vocês vejam lá! Infelizmente, o derradeiro acontecimento chegou há cerca de dois meses, durante uma saída com os meus in-(not-yet-)laws e seus rebentos. Na minha cabeça, se me pagavam o almoço e me levavam a passear por sítios bonitos de Portugal que eu ainda não conhecia, algo eu teria de sacrificar. E sacrifiquei. Sacrifiquei a minha honra de ser fotogénica porque, meus caros, se há coisa que me embaraça é tirar fotografias a beijar, seja na bochecha, na boca ou onde for, então é escusado dizer que, dada a tensão desses momentos, parece que estou a devorar o Ricardo em todos eles (houve várias tentativas e cenários, só naquela de assegurar que os meus filhos vão ter muito material para se rirem de mim daqui a 30 anos) ou que estou a soprar-lhe para dentro, sendo ele uma espécie de balão insuflado. Essas fotos deviam ser apagadas, não fosse eu da definitiva opinião de que até certas memórias más a curto prazo se podem tornar memórias boas a longuíssimo prazo (sou muito optimista, portanto).

Enfim. Tudo pela sogra. Tudo pela melhor sogra de Portugal, que fez o favor de trazer ao mundo uns rebentos tão lindos e boas pessoas como o meu amor e cunhada fofinha que eu adoptei logo, logo como alvo para concretizar impulsos anteriormente reprimidos de filha única que sou. E, só por causa disso, eu faço de tudo para ser a melhor nora.

 

Para aqueles que ficaram curiosos, NÃO, as malfadadas fotos JAMAIS virão parar a este blogue. Continuem a sonhar...

Queda para o equilibrismo

Filhos deste meu blogue, tenho 11 ou 12 livros para ler para UMA SÓ cadeira (tipo a Odisseia e a Ilíada, nada de violento), excepto as restantes. E dois part-times. E uma inscrição no ginásio. E um blogue. E um namorado. E uma família. E amigos. E sanidade (mas só por enquanto). E necessidade de dormir, PELO MENOS, sete horas por noite. Como é que me vou desenrascar este semestre? Não sei, não quero saber e isto é viver-se um dia de cada vez. Obrigações e lazer, tudo há-de encontrar o seu devido lugar!

Casal sexy, feliz e espalhafatoso celebra um ano de namoro (segundo dados oficiais)

 (Os invejosos vão dizer que é montagem, hihihihi!*)

 

Antigas previsões enganaram e parece que, afinal, há uma ligeiríssima probabilidade de eu não acabar a minha vida sozinha, amargurada, com três dúzias de gatos (prefiro cães) como companheiros de casa e sem saber o que é ter o namorado mais fixe da Via Láctea só para mim (alega ele, e eu acredito). Hoje completamos (oficialmente, vá) um ano de namoro, o que não é grande coisa, mas a coisa tem tendência a melhorar com o tempo. Já em 2014 há-de ter mais piada: ouvi falar de uma certa promessa acerca de se exterminar uma determinada barba no nosso segundo aniversário. E escrevo isto para que fique registado na blogosfera e haja mais testemunhas!

Irá esta promessa ser cumprida? Fiquem atentos ao próximo capítulo da história!

 

*Dezembro 2012