Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

A importância de se chamar Ricardo (Rick's stuff #4)

Não sei se será realmente verdade, mas quem se chama Ricardo deve estar predestinado à divulgação do humor, praticamente como um messias da boa disposição. Pelo menos, consigo retirar essa conclusão pelos dois Ricardos que melhor conheço: o meu namorado e o Ricardo Araújo Pereira. Também há o Ricardo Martins Pereira (aka O Arrumadinho), mas esse não é para aqui chamado, até porque nunca o achei lá muito divertido - muito pelo contrário - e a uma analista do meu calibre só lhe interessam os resultados mais favoráveis à sua tese. Continuemos.
Então, dizia eu, que estes dois Ricardos são de partir a rir. Pronto, ainda não tinha dito nada disso, mas digo agora. São duas das criaturas mais engraçadas que já nasceram neste mundo e que acabam por estar quase destinados a tornar a vida das outras pessoas mais alegre. São atrofiadores natos, têm veia crítica.
Com isto, o que eu queria concluir é que só mantenho uma relação com o "meu" Ricardo porque, caso ele siga os passos do seu homónimo, há-de fazer muito dinheiro, enquanto mete três quartos da humanidade a rir. Ou seja, esta é uma promessa de longevidade: riqueza e risos em quantidade proporcional. Não que eu ache que o RAP seja assim tão rico. Só acho que o meu namorado tem mais piada que ele, logo fará mais dinheiro, o que poderá financiar a minha vida de escritora falhada.


(Para os menos atentos, eu estava a brincar quando disse que apenas namorava com a criatura supra-mencionada pela oportunidade futura de enriquecimento que poderá representar. Estava mesmo a brincar. A sério. Eu só gosto do rapaz porque ele sabe barrar chocolate nas panquecas e manteiga no pão sem os furar, ou seja, tudo o que uma miúda poderá desejar no seu loved one, caso ela própria seja incapaz de o fazer. Não duvidem do meu sentimento!)

Rick's stuff #2

A segunda edição da rubrica mais parva da blogosfera sai um pouco do seu objectivo inicial, mas... quero lá saber! Afinal, só tenho vinte e um leitores, segundo o inquérito colocado na barra lateral direita. O que tenho eu a perder?!

É só para avisar que, caso liguem na RTP à hora do telejornal e cheguem a ver uma reportagem filmada numa vila bem chunguita da Margem Sul chamada Quinta do Conde, a criatura despenteada a fazer figurinhas em segundo plano é o ilustre Rick em pessoa, a tentar ser tão famoso quanto a sua mui célebre namorada. E depois logo perceberão porque é que era inevitável ele ser mencionado esporadicamente neste blogue. Um autêntico achado!

Rick's stuff #1

Por vezes mencionado na blogosfera, o meu namorado Ricardo (tenho mais meia dúzia de namorados escondidos na cave, só para que fique bem claro) farta-se de me enviar conteúdos cibernéticos extremamente espirituosos que acabam por ser, eventualmente, publicados aqui no blogue ou na página do Facebook. Portanto, dada a sua permanente e iluminada presença procrastinadora que eu não consigo evitar (e dado ser socialmente bem visto que uma blogger com classe tenha um namorado inteligente e carismático), decidi criar uma rubrica destinada especialmente a esses conteúdos a que eu acho tanta piada. Em primeiro lugar, peço desculpa aos pais do Ricardo, que até lhe deram um nome de que eu gosto bastante, por ter tido de o abreviar para algo mais mainstream (e foleiro) como estratégia de marketing. Em segundo lugar, não lhe peço desculpa a ele PORQUE NÃO ME APETECE.

Eis a primeira experiência da rubrica "Rick's Stuff":


Por falar em Freud, eu devia mesmo estar a estudar Psicologia.