Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

a ilusão da cinderela

   Foste um possível imprevisto dentro das remotas impossibilidades que eu julgava improváveis de acontecerem. Tiraste-me o chão, deste-me o céu e eu perdi-me. Levantei a cabeça, ergui o coração, ofereci a alma e deitei fora os medos. Não tive receio, enlouqueci, continuo louca, entristecida. Escrevo, escrevo, escrevo. Não sei onde páro. Não sei quando assentar. Não sei decidir.


   Reavi o que perdera. Foi árduo, foi cruel, foi difícil, quando pararia, quando pararia? Pensei ver o fim, mas era só o virar da página - próximo capítulo. Gritei.


   E chorei e recolhi-me num passado anterior, remotamente alcançável, onde não repousava arrependimento, onde a tristeza não chegava e onde ainda sonhava com príncipes encantados. Mas o encanto desvaneceu. A Cinderela rasgou o vestido, enterrou os sapatos na lama e o cabelo voou ao vento. A tiara rachou.


   Acordei da ilusão e desiludi-me. Rompi num pranto de quebrar a alma, discuti com o Diabo e fiz as pazes com Deus. Estava errada, estava errada - quantas vezes não o estivera?


   Tenho saudades do risco que implicava amar sem princípios, de amar imoral e constantemente, permanentemente com o coração nas mãos e as mãos no coração... dele.

não chores.

   Ele é fora do comum. Chora ao ouvir certas músicas que lhe tocam o coração; consegue fascinar qualquer um com relativa facilidade; as piadas que cria são verdadeiramente inteligentes; ao mesmo tempo, consegue ser tão transparente e tão indecifrável. 


   É esse o enigma. Ele. Quem me dera ser capaz de saber o que pensa realmente de mim, dos outros e de si próprio. Porém, também o conheço o suficiente para saber que ele é mesmo assim - ninguém o mudará - e que até é uma característica tão forte da sua personalidade que imaginá-lo sem ela seria quase impossível. Temos de gostar das pessoas pelo que elas são e pelo que trazem para a nossa vida. Ele trouxe demasiado à minha... 


  A nossa amizade é algo de que não me vejo prescindir, nem que seja para mostrar o quão importante ele é e o quanto quero fazer a diferença. Só não o quero ver chorar ou, pelo menos, saber que chora sem eu poder estar por perto para lhe dizer que tudo será perfeito, mais cedo ou mais tarde. Quero-o com um sorriso na cara e a sonhar alto, tal como ele me diz que devo fazer.

ela sou eu



" Começou outra vez a andar para sul, em direcção ao monte artificial que ligava a cidade velha e a cidade nova. Vive cada dia como se fosse o último, era esse o conselho convencional, mas francamente, quem tinha energia para tal coisa? Então e se chovesse, ou se estivesse com dores do período? Não era prático, pronto. De longe, melhor procurar simplesmente ser-se bom e corajoso e arrojado e fazer alguma diferença. Não era exactamente alterar o mundo, era só o pedaço à volta. Sair para o mundo com paixão e a máquina de escrever eléctrica e trabalhar no duro a fazer... qualquer coisa. Mudar vidas por meio da arte, talvez. Estimar os amigos, permanecer-se verdadeiro aos nossos princípios, viver apaixonada e plenamente e bem. Experimentar coisas novas. Amar e ser amado, se alguma vez houvesse oportunidade. "


 


Um dia, David Nichols

nova filosofia de vida.




 


Sê quem queres ser, ama quem não deves, chama nomes ao teu ex, odeia-o, ri-te com as tuas amigas, lembra-o, chora baba e ranho, dá uns mergulhos na praia, ouve música no quarto e faz figuras parvas em frente do espelho, salta, salta, salta, dá umas gargalhadas, conhece pessoas novas, apaixona-te por ti, abraça quem puderes, acarinha os que te são próximos, aproveita a vida, as tuas capacidades e as oportunidades que surgem - e nunca esqueças o teu valor. ♥

Dúvida existencial? Não. Uma estranha relação.

Já lá vão sete meses desde as primeiras palavras, os primeiros elogios e os primeiros sorrisos parvos. Foi uma época muito feliz, essas primeiras semanas de Janeiro.


 


Agora, em Agosto, o levantamento de tudo o que se passou entretanto não me deixa parar de pensar. Houve sempre alguma coisa a dizer, elogios e ofensas incluídos, sorrisos parvos e soluços de profunda tristeza, mares de lágrimas e muitas recordações. Muitas primeiras coisas, sem dúvida.


 


Amor? Amizade? Simplesmente os cacos de algo especial? O medo de quebrar a rotina?


Ainda hei-de descobrir.

16 & smile

É preciso acordar todos os dias com o pensamento "eu tenho muita sorte em ser saudável, acarinhada, amada, em já ter encontrado as minhas verdadeiras vocações e ter estabelecido tantos objectivos, em sentir-me incompletamente completa, em estar rodeada de pessoas fantásticas e encontrar-me numa situação propícia à concretização de tantos sonhos!".


Posso dizer que, aos 16 anos, apesar de me terem acontecido anteriormente imensas coisas adversas à minha felicidade, consegui tornar-me uma boa pessoa e tomar decisões de que nunca me arrependerei, tenham sido elas boas ou más.