Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

As minhas respostas à procrastinação

Imensos de vocês têm participado no passatempo Hoje é Melhor do Que Para Sempre. Têm respondido às perguntas que vos coloquei e, agora, algumas horas antes de serem fechadas as inscrições, é a minha vez de partilhar acerca da minha experiência de procrastinação.

 

1 - Procrastinas muito?

Já procrastinei mais. Há 3 anos, quando este blogue começou, a procrastinação estava na ementa do dia... todos os dias! Agora também, mas em quantidades mais moderadas. A estudar, a trabalhar e a continuar a ter necessidade de 7 ou 8 horas de sono por noite, a coisa teve de ser reduzida.

 

2 - Por que é que achas que as pessoas procrastinam? E tu, por que é que o fazes?

Acho que toda a gente procrastina de maneiras diferentes, mas os motivos são praticamente iguais. Sabiam que está cientificamente provado que o cérebro humano não consegue lidar com uma lista demasiado extensa de responsabilidades ou tarefas ao mesmo tempo? Se isso acontecer, bloqueia. É verdade, salvo erro, está no livro Use a Cabeça, de Jason e Daniel Freeman! Não é de admirar que a procrastinação seja a maneira que encontramos para ir fazendo qualquer coisinha aqui, e depois ali, com um bocado de descanso inconsciente pelo meio, até que a lista de tarefas a fazer seja reduzida.

Por outro lado, também há um grupo de pessoas - em que me incluo - que até trabalha bem sobre pressão. Portanto, inconscientemente, mais uma vez, vai dar por si a "adiar para amanhã o que pode fazer hoje" (uma expressão que já tenho ouvido imenso e que algumas das respostas ao passatempo referem), até ter de o fazer em cima da hora.

 

3 - As pessoas que te rodeiam procrastinam muito?

Não procrastinamos todos? No entanto, tenho a meeeeeeera impressão de que sou quem procrastina mais entre os meus amigos, família e colegas. Estes últimos são, talvez, quem mais procrastina a seguir a mim - ou até ao mesmo nível!

 

4 - O que é "procrastinar demasiado" para ti?

É arruinar qualquer hipótese de um bom planeamento das tarefas. Estabelecer que tenho de começar a trabalhar às 15h e começar a trabalhar à meia-noite. Não cumprir prazos, na escola, no trabalho ou em compromissos pessoais. Acabar tudo à pressão, cansar-me sem motivo, sentir-me desiludida comigo e com a minha capacidade de controlo, não conseguir, sequer, ser dona da minha vontade... porque procrastinar é mais fácil do que pôr mãos à obra, seja no que for!

 

5 - Como te sentes depois de "procrastinares demasiado"? Frustrad@, irritad@, satisfeit@, descansad@, ainda mais cansad@...?

Acabei por responder a esta questão no número anterior. Sinto-me, maioritariamente, desiludida com a falta de controlo que tenho sobre o meu tempo. Sinto também que poderia ter usado aquele tempo para descansar a sério (ler um livro sem pressas, dormir a sesta, ver um pouco de televisão), depois de terminar tudo à hora planeada - não apenas para ir adiando algo inevitável, estando sob stress.

 

6 - Procrastinação = preguiça?

É uma boa questão e ainda não estou certa da resposta que vou dar. Talvez a procrastinação junte um pouco de descontrolo e de preguiça, um bloqueio mental que temos de nos obrigar a transpor. Talvez seja toda ela preguiça. Talvez "procrastinação" seja um nome fino para "preguiça". Tantas incertezas, tantas incertezas... Talvez.

 

***

 

Boa sorte a quem ainda planeia participar! Tenho a destacar que algumas das respostas recebidas são mesmo muito boas e que até me deixam com receio de depois ser injusta, mas acho que vou fazer uma boa escolha. Vou ter em conta o cuidado de cada participante com o seu discurso, com as respostas serem mais ou menos completas, divertidas, o que de novo e carismático foi referido, a sua pertinência... O que acham vocês? Dêem uma olhadela às participações e digam de vossa justiça!

2 comentários

Comentar post