Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Desistir

Aprender a desistir não tem de ser negativo, repito.

 

Desisti outra vez. Desisti dum curso. Ao fim de quatro em seis aulas, fui para casa a pensar "o que é que me prende?". Quase nada, não sou obrigada a lá estar, já está pago e tiradas estão as teimas. Nada me prende, excepto... a perda eminente de face (sobretudo no confronto interior, não com os outros), os pensamentos constantes de que seria só mais uma semana, mais um bocadinho, e que depois me poderei arrepender, e se...

 

Ainda assim, ignorando a minha própria teimosia, desisti. Ultimamente, é isso que tenho aprendido a fazer, não de maneira consecutiva, mas sim produtiva. Desisti deste curso, porque os motivos para o fazer começaram a surgir-me com maior frequência e insistência do que os benefícios - tal como tem acontecido noutras dimensões desta minha vida.

 

Aprender a desistir não tem de ser negativo, repito.


Aprender a desistir não tem de ser negativo, porque não somos feitos de ferro, nem temos de gostar de tudo aquilo que fazemos, nem temos de ser felizes todo o dia, todos os dias, porque ao desistir de algo que nos envolve em amarras podemos ganhar tempo para desenvolver o que nos poderá apaixonar, inspirar e ser bem sucedidos. Poderemos dedicar-nos a outra coisa qualquer, nem que seja a pensar. Ou a descansar.

 

Desistir pode ser bom, pode ser um caminho que, não sendo fácil de tomar para quem está habituado a ser combativo, também poderá revelar-se necessário. Pode ser que crie espaço para caminhos ainda melhores. Pode ser...

 

(É como desistir dum livro que nos tenha desapontado, para poder escolher um outro do qual realmente tiremos proveito!)

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.