Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Não tenho cá procrastinado

21.09.18 | BeatrizCM | ver comentários (4)
Perdoem-me os dois ou três leitores habituais a falta de assiduidade na procrastinação blogosférica. Há fases assim. Felizmente! Nem blogue, nem Instagram, e Facebook reduzido. Ainda se escapa o Goodreads. Também já passei por algumas fases excessivas, mas, de facto, (...)

O melhor que um amigo nos pode dizer

12.08.18 | BeatrizCM | comentar
 Não costumo pensar em mim como tendo resposta para seja qual for o menor problema à face do universo. Eu nem a cozinhar sou boa. Nunca fui popular. Não sei nadar. Sou terrível a matemática, sou daquelas que se perde em contas de subtrair. Sou a mais nova dos meus (...)

Um tipo de pessoa muito especial

14.07.18 | BeatrizCM | ver comentários (1)
 Há pessoas que passam despercebidas a vida inteira. Há pessoas que precisam de se esforçar para se fazerem ver. Há pessoas que entram numa sala e a iluminam. E há pessoas que, sorrateira, humilde e discretamente, conquistam toda a gente à sua volta em todas as salas (...)

Para onde vamos depois de terminar o ensino secundário?

20.01.18 | BeatrizCM | comentar
Vai fazer cinco anos que terminei o ensino secundário. Parece pouco, mas meia década já deu para muito. O mais curioso, para mim, é a diversidade de caminhos das pessoas com quem andei na escola - do meu ano e sem ser do meu ano.   Há muita gente que já anda em (...)

5 palavras para 2018

02.01.18 | BeatrizCM | ver comentários (2)
Se a minha palavra-chave para 2017 for "trabalho", a de 2018 poderia ser "descanso". Estou convencida de que não seria possível fazê-lo a tempo inteiro (apesar de não me importar de ter uma ou duas semanas sem pensar em trabalhar ou estudar, ou complicar seja o que (...)

O que eu não mudaria em 2017

31.12.17 | BeatrizCM | ver comentários (1)
Que ano turbulento. Costuma-se dizer que, quanto maior é a subida, maior é a queda, mas 2017 foi uma série de escadarias, e rampas, e trampolins, para cima e para baixo.Felizmente, há muita coisa que eu não mudaria.  Não mudaria ter ido