Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Amanhã, este blogue completa 3 anos

Lembram-se de quando eu escrevia pequenos textos pseudo-sentimentais, derrotistas e desiludidos com tudo, que eram só palavras soltas e quase deterministas sobre o amor? Lembram-se de quando os desabafos eram uma constante e a vida além-eu em redor não existia? Lembram-se de quando este blogue mudava de nome todas as quintas-feiras (salvo seja) e tudo na minha vida parecia uma confusão? Lembram-se?

Provavelmente, não. Muitos dos leitores deste blogue têm-se-lhe juntado durante os últimos dois anos, talvez durante os últimos meses. Os que o liam no início partiram, outros aparecerem. É assim um blogue, principalmente um que espelha o crescimento de um indivíduo entre a adolescência e a idade adulta, signifique isso o que significar. Por outro lado, também acredito que haja um terceiro grupo que tem vindo a crescer comigo por estas bandas.

Antes do blogue que se vos apresenta nesta página, já outros tinham sido criados e, consequentemente, apagados. Por isso, nunca pensei que procrastinar fosse quase para a vida (3 anos é muito tempo na blogosfera, não?). Talvez seja do conceito; talvez seja do compromisso subjacente a cumpri-lo e a ficar por aqui. 

Gosto de escrever procrastinando. Acho que, de todos os blogues que já criei, este é aquele com que mais me identifico. Também me identifico com os leitores e, acima de tudo, com o que vou escrevendo. Não é mau de todo, pois não? Graças ao blogue, têm-me acontecido coisas boas.

3 anos (menos um dia) volvidos, continuo um tanto-tonta, mas considero-me muito mais feliz, sei o que quero e vou atrás dos meus objectivos (o que é um tropeção ou outro, de vez em quando?). Em geral, já começo a perceber o que espero da vida. No fundo, continuo igual, sou apenas uma versão melhorada q.b., o que devemos esperar de nós mesmos dia após dia. O que escrevo agora tem mais contexto, mais sentido e melhor qualidade. O blogue serve de plataforma de treino de raciocínio e de redacção livre.

 

Porque um blogue não se faz só com alguém que escreva, tenho de agradecer aos "alguéns" que o lêem e aos que apostam nele (e em quem se encontra deste lado, arrisco-me a dizer). Procrastinar também é viver, é aprender, é ler, é parar não parando, é gastar um bocadinho de tempo inutilmente - ou até com imensa utilidade -, é o que vocês quiserem que seja! 3 anos pode não ser muito para o resto das pessoas, mas para mim simbolizam a que tem sido a melhor época da minha curtíssima existência. Ficam por aí?

 

***

 

Alguns dos maiores marcos da procrastinação:

# Recortes e destaques nos Blogs do Sapo

# Reportagem na Revista Domingo (suplemento do Correio da Manhã) - Abril de 2013

# Participação no programa Boa Tarde, na SIC - amanhã, dia 30 de Junho de 2014

Casal sexy, feliz e espalhafatoso celebra um ano de namoro (segundo dados oficiais)

 (Os invejosos vão dizer que é montagem, hihihihi!*)

 

Antigas previsões enganaram e parece que, afinal, há uma ligeiríssima probabilidade de eu não acabar a minha vida sozinha, amargurada, com três dúzias de gatos (prefiro cães) como companheiros de casa e sem saber o que é ter o namorado mais fixe da Via Láctea só para mim (alega ele, e eu acredito). Hoje completamos (oficialmente, vá) um ano de namoro, o que não é grande coisa, mas a coisa tem tendência a melhorar com o tempo. Já em 2014 há-de ter mais piada: ouvi falar de uma certa promessa acerca de se exterminar uma determinada barba no nosso segundo aniversário. E escrevo isto para que fique registado na blogosfera e haja mais testemunhas!

Irá esta promessa ser cumprida? Fiquem atentos ao próximo capítulo da história!

 

*Dezembro 2012

2 anos a procrastinar

 

Este blogue completa as suas duas primaveras no dia de hoje! Iupiiiii! Eu até diria aquelas frases cliché como "ei, parece que ainda foi ontem que comecei aqui a escrever, sobre as minhas aventuras e desventuras emocionais e amorosas (falhadas)", mas não. Para mim, isso deve ter acontecido algures noutra encarnação. Eu cresci e este blogue cresceu. Enfim, a minha escrita cresceu! E contem com terem de aturar o meu permanente crescimento durante muitos mais anos, porque eu não faço tenções de sair daqui, não senhora. Eu gosto de procrastinar. Espero que vocês também não se importem de o continuar a fazer. Parabéns a mim, ao blogue, a vocês!

Considerem-se com um estômago cheio do bolo acima apresentado, cujo interior será pão-de-ló recheado com doce de ovo e amêndoas. O exterior é de massa-pão. Agora, façam de conta que nunca comeram um bolo tão bom na vossa vida. Aí está, parabéns outra vez!

Falemos mas é de coisas mais alegres (já chega de exames e de morte)

Pois que, à falta de melhor (ou mais apelativo) passatempo, vos apresento o desfile das minhas prendas de aniversário por cima da minha colcha e mobílias de quarto.

 

A PRENDA DO SENHOR MEU NAMORADO

 

 

(Qual é a criatura do sexo feminino que não gosta de flores, digam-me lá?)

 

 

A PRENDA DA MINHA AVÓ

 

 

(Já a pensar na faculdade...)

 

 

A PRENDA DO MEU PAI

 

 

(A reparação de um fio que pertenceu à minha avó materna.)

 

 

A PRENDA DA MINHA TIA

 

 

(A minha veia consumista diz que gosto da Desigual.)

 

 

A PRENDA DA CARA DE PANQUECA

 

 

(Porta-moedas espampanante, mesmo ao meu gosto, e tartaruga-luz-de-presença-que-muda-de-cor para que a medricas supra-mencionada não tenha medo do escuro quando vem cá a casa... Uma prenda dela para ela, como diz o meu pai!)

 

 

A PRENDA DA MÃE DO AMIGO

- o fofuxo diz que há-de me dar uma só dele... a ver vamos! -

 

 

(Um livro...!!!! Obrigada, obrigada!)

 

 

A PRENDA DA ÉRICA E DA CASSANDRA

- personagens recorrentes na procrastinação deste blogue - 

 

 

(Quer isto dizer que eu cheiro mal??)

 

 

A PRENDA DA AMIGA QUE SE FOI EMBORA MAIS CEDO

 

 

(Acho que ela nem sabe que eu faço colecção de canecas... E a que me deu é bem bonita!)

 

 

A PRENDA DA AMIGA QUE FICOU A ESTUDAR E NÃO VEIO AO MEU LANCHE DE ANIVERSÁRIO

 

 

(Foi ela que pintou, por fora e por dentro, pelo que está perdoadérrima.)

 

 

A PRENDA DOS MEUS VIZINHOS

 

 

 

(Falta a caixinha de sombra para os olhos que me deram. Os brincos são muito catitas.)

 

 

A PRENDA DO PONeLeiro MAIS CONHECIDO DA BLOGOSFERA

 

 

 

 

(Este, vê-se logo que é cá da procrastinação!- http://produtooficialnaolicenciado.blogs.sapo.pt/297840.html)

 

 

A VOSSA PRENDA (ATRASADA)




(Legenda: "gostar" de Procrastinar. Literalmente. https://www.facebook.com/procrastinartambemviver)

 

 *** 

 

Obrigada a todos pelas suas prendinhas e por terem vindo ao meu lanche de aniversário pleno de piadas preversas e polícias e ladrões - no jogo de cartas, é claro - incompetentes! E, pelo que a própria diz, ainda falta a da Carolina. São todos uns fofinhos! =)

Prendas que eu gostaria de receber no meu aniversário (mas que não receberei, porque... you know - crise)

Para os mais despistados (como se fosse possível, que eu não me calo com isto), amanhã faço anos. Faço os 18, ainda por cima. Já estou pelos cabelos com a minha avó e todas as pessoas que existirão por esse mundo fora que fazem questão de mo relembrar de dez em dez minutos: upa, upa, vou ser adulta e hoje é o meu último dia enquanto "criança". GRRRRRRRRR, enterrem-se, minha gente!

No entanto, dentro da temática do aniversário, apetece-me falar de prendas. Ou melhor, o meu lado materialista dita que me apetece falar de prendas.

 

Em primeiro lugar, eu sei que isto está difícil e sublinho o seguinte: sou a primeira a confirmar que me custa imenso ter de arranjar prendas de aniversário para os outros, uma vez que tenho sempre orçamento limitado. Já não se dão prendas de 10€! Nem de 7,50€! Muitas vezes, nem de 5€. Portanto, quando me dizem que, este ano, não há prendas para ninguém, eu só respondo "ok". Então e não me importo? Sinceramente, não. Nos meus dias de anos, só não dispenso estar com os meus amigos. O resto vem por acréscimo. Não há quem não goste de receber presentes, seja quando for, mas há que ter três dedos de testa e um pouco de bom senso. Eu tenho tudo o que uma miúda da minha idade poderia desejar (comida, saúde, família, amigos e um namorado "ao mais alto nível", uma casa cheia de livros, boas notas e até um blogue lido por algumas pessoas que não devem ter mais nada que fazer da vidinha delas, mas de quem eu tenho muito boa impressão), pelo que, a menos que tenham vontade de fazer um donativo para a minha conta bancária, onde estou a amealhar uns trocos para as propinas da faculdade, escusam de pensar sequer em dar-me o que quer que seja.

 

Assim, a lista que se segue trata-se, nem mais, nem menos que um devaneio de quem está a fazer uma pausa no estudo para os exames nacionais. Vou chamar-lhe...

 

AS PRENDAS DE ANVERSÁRIO QUE ME PODERIAM DAR, CASO TIVESSEM DINHEIRO:

 

1. LIVROS. Nunca são demais.

 

2. PRATELEIRAS. Dão sempre muito jeito por estas bandas.

 

3. CHOCOLATES. Oh, os chocolates! Como eu adoro as barrinhas do Continente... E os bombons da Milka... E os Toblerones.

 

4. GOMAS. Afinal, a minha avó diz que estou magra.

 

5. Um biquíni novo.

 

6. Já referi os livros?

 

7. MARCADORES PARA OS LIVROS. É que estou a ler cada vez mais, ao mesmo tempo.

 

Tenho a mania dos livros

Não tenho livros a medir. Preciso urgentemente de novas estantes ou prateleiras e, ainda assim, continuo a adquirir mais livros (não tantos quanto gostaria, mas a culpa é do Coelho e do Gaspar). Há quem se mate por roupa e sapatos (eu só me esfolo) e há quem se mate por livros, o que é absolutamente o meu caso. Ainda não fui à Feira do Livro este ano, mas tenho a certeza de que assim que lá meter os pés me vou passar e vou ter orgasmos literários múltiplos. E perder todo o miolo que restar dentro desta minha cabecinha desmiolada. E gastar o dinheiro alheio (pai, avó… sabem a quem me refiro). Vou ser desenfreada, vou ser obsessiva, vou ser incontrolável, vou ser imparável! Enfim, vou endoidecer.

 

Nota: faço anos daqui a quinze dias. Aceitam-se donativos e prendas de aniversário adiantadas: cheques, notas ou mesmo trocos. Ou prateleiras e estantes. Ou livros, theirselves, porque não…?

 

Ajudem-me.

aniversários

   Eu gosto de aniversários e tudo o que vem incluído no pacote da comemoração. Adoro o meu, gosto dos dos outros. Não acho que seja obrigatório oferecer-se presentes caros e vistosos, porque o que conta é a intenção e a companhia. Prefiro que me ofereçam uma flor, em vez de um mono sem utilidade ou significado que lhes tenha custado os olhos da cara mais o couro cabeludo. Prefiro oferecer uma carta escrita por mim, à mão, com caneta BIC e folha de papel simples, do que ser obrigada a mostrar o meu apreço através de uma prenda que ainda correria o risco de, mais tarde, ir parar ao caixote do lixo ou, pior, estar condenada à eterna existência por mero sentimentalismo. Gosto dos aniversários porque, por norma, costuma haver uma festa ou momentos de convívio em que se juntam amigos, família, vizinhos, caras novas e outras antigas. Há sempre alguém com uma máquina fotográfica a postos (eu), pronto a imortalizar esses belos momentos de confraternização.


   Quando eu faço anos, a minha avó faz os bolos que eu quiser, organiza a festa que eu quiser, com quem eu quiser. Quando os meus amigos fazem anos, mando-lhes mensagens queridas de felicitação à meia-noite em ponto e tento ser sempre o mais original possível a escrevê-las. Quando alguém da minha família faz anos, faço um bolo ou ajudo na cozinha.


   Hoje, a Inês faz anos. Nunca sei o que hei-de lhe oferecer. Desta vez, soube. É segredo. A minha avó fez-lhe uma torta de chocolate, mas isso já é quase tradição. Hoje, a Inês faz anos. Não poderia deixar passar o aniversário da minha melhor amiga sem o vir cá comunicar!

1 ano... já?

Ontem, o meu blogue fez um ano. Passei a semana passada inteira a pensar nisso mas, aquando da altura certa de o vir relembrar ao mundo, esqueci-me. É parvo. Não sei se haverá grande coisa para festejar nem para dizer, porque, se formos a ver bem, isto é uma festa todo o santo dia, quer seja 30 de Junho ou 29 de Fevereiro. Nem o 31 de Novembro me escapa! Há que viver, sem esquecer a procrastinação ocasional, que também faz bem à saúde. Um brinde a isso! Tchin, tchin! E, agora, voltemos à vida real, dura e sem piada! Ámen.

o meu Hotmail

Recebo um e-mail novo. O que será, o que será, o que será?! Excitação. Contagem decrescente para a página abrir. Lá está a barra amarela, "mensagem não lida".


 


Ah, não. É só o Hotmail a avisar que EU fiz anos ontem e que um dos meus melhores amigos faz anos amanhã. So sad, so useless, what a shame.

aniversário

Passei um dia dos Diabos, com os Diabos. Levaram-me a comida toda que tinha em casa, não restou um grão de açúcar. Desarrumaram-me o quarto, sujaram-me o quarto, partiram-me a armação de uma cadeira. Deram-me abraços apertados, cantaram-me os parabéns e animaram-me. Deram-me atenção e carinho. Foram simpáticos em trazer-me prendas quando eu os tinha proibido de o fazer. Deixaram-me realmente feliz (muito). Eu sei que eles também ficaram felizes. Não eram muitos, porque eram os suficientes. Obrigada pelo dia, obrigada pela companhia. Só lhes desejo mais dias iguais a este.