Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Este blogue e respectiva autora estão nas redes sociais

https://www.facebook.com/procrastinartambemviver

 

 

 

 

http://www.goodreads.com/user/show/12656236-beatriz-canas-mendes

 

 

 

http://ask.fm/beatriizhelena

 

 

Seria impensável não ter uma página de Facebook dedicada ao blogue, nem que seja só para publicar pensamentos fugazes que não se justificaria aparecerem aqui.

Também seria impensável uma Leitora Hiperactiva Anónima (LHA) como eu não estar inscrita no Goodreads nem ter estabelecido um Reading Challenge.

Quanto ao Ask, raramente lá vou, mas nunca me fizeram nenhuma pergunta indecente, e todas as que recebo parecem vir de pessoas simpáticas e bem intencionadas, além de que encontrei por lá algumas pessoas dos blogues. Portanto, até prova em contrário, não tenho razão de queixa.

 

Apareçam!

Daqui a 20 anos

Sou uma pessoa muito céptica no que toca ao futuro. Encaro-o como inevitavelmente imprevisível e permanentemente susceptível de ser alterado por uma qualquer circunstância não planeada, ou seja, um bichinho de vinte cabeças sem cara associada.

No entanto, não deixo de ter as minhas expectativas, altas ou baixas. Afinal, quem não as tem? Elas hão-de existir, nem que seja enquanto pontos de referência a atingir ou objectivos a concretizar. Não há como escapar à curiosidade e à previsão!

Deste modo, confesso que não faço mesmo a mínima das mais mínimas ideias sobre o que me reservam os próximos vinte anos. Ou dez… Ou cinco… Ou dois. Até dos próximos doze meses sei pouco, tendo apenas algumas linhas-guia, tais como, evidentemente, completar o primeiro ano de licenciatura com notas satisfatórias (assim de 18 para cima, estão a ver?, não estão?, deixem lá que eu também duvido disso) e andar num rodopio entre casa, faculdade, trabalho (possivelmente) e natação (mais vale aprender a nadar tarde do que nunca), sem muito tempo para namorar, para conviver com outros humanos ou para desbundar na cama até às dez da manhã, quanto mais até ao meio-dia.

Mas, vão-se lá compreender estas coisas, uma pessoa gosta é de fazer planos a loooooooongo prazo, dar largas à imaginação e saborear a promessa (ou ilusão) de que a vida nos correrá pelo melhor e será só seguir o rumo do vento! Portanto, aqui vai a minha lista actual de desejos e utopias para os próximos vinte anos… (Ou seja, não se tratando duma visão muito realista do que, provavelmente, vai acabar por acontecer.)

 

1. Terminar a licenciatura, arranjar um emprego decente e bem pago (quase) logo de seguida e ter dinheiro para fazer uns mestradozitos ou umas pós-graduações pelo meio (já nem falo em doutoramentos!);

 

2. Tirar a carta de condução, oh sim!, e arranjar um carrito para dar umas voltas;

 

3. Continuar a gostar muito da minha criatura mai’ linda e barbuda, e ele de mim, e…

 

4. Sair(mos) de casa dos papás (ou da avó) e arranjar(mos) um apartamento que tenha espaço para os todos os livros que ainda não terei comprado na altura, mas que virei a comprar, de certeza absoluta;

 

5. Escrever um livro, ou meia dúzia, que isto, se é para ter ambição, tem-se muita;

 

6. Ganhar dinheiro a escrever livros e/ou através de um salário decente num emprego desejável e bem-remunerado a que, entretanto, terei ascendido;

 

7. Casar e ter um número desconhecido, mas não muito elevado, de melgas (de preferência, inteligentes, bonitas e carismáticas) a correrem pela casa e a gritarem “OH MÃÃÃÃÃÃÃÃE, COLÁMOS PASTILHA ELÁSTICA À BARBA DO PAI E VAMOS TER DE A CORTAR TODA!!!!” – ná, estava só a brincar, isso seria bom demais para acontecer;

 

8. Por favor, por favor, por favor, nunca conhecer o desemprego na minha família!;

 

9. Ficar com o rabinho cheio de tanto viajar, sozinha ou acompanhada;

 

10. Não ganhar muitas rugas nem flacidez.

 

 

(I wish...)


Publicação baseada na pergunta "Como é que imaginas a tua vida daqui a 20 anos?", no Ask.

Achaque número dois

Como não tenho escrito quase nada por estes lados e como algumas pessoas me têm enviado uma ou outra questão em comentário, aqui fica o meu querido e prezado Ask, juntando o útil ao agradável, em que não responderei a perguntas do género "ex virgem?", "qntx já papaste damah?" ou "ex buedah feiah, dax-muh teu númaro?", mas sim ao que vocês muito bem entenderem, porque o Ask é isso mesmo, o que cada um quiser, e o meu é um Ask respeitável e cheio de classe em que só se pragueja em Inglês e em que há que respeitar as regras do bom português escrito, mesmo que seja em anónimo. Toca a puxar pela imaginação, surpreendam-me! Muito obrigada.

 

Sugestões para os "entediados" que imploram por perguntas no Ask

Esta publicação destina-se, principalmente, a pessoas que gostam de spamar murais alheios no Facebook com ligações para o seu perfil no Ask, implorando por perguntas (sem ser psicóloga nem outra coisa qualquer, acabo de vos diagnosticar Síndrome de Complexos de Atenção - SCA, uma patologia que não sei se existe, pelo que acabo de inventá-la, porque... sou um génio, TROLOLOL), apesar de ter a perfeita noção de que serão exactamente aquelas que não se entediam que lêem este blogue (relação causa-efeito reversível: se lêem o meu blogue, não se entendiam; se se entediam, lêem o meu blogue - modéstia à parte).
Se acham que arranjar ocupações para o vosso muuuuuuuuuuuuito tempo livre e "estão no tédio", perguntem-me sobre sugestões. Não, a sério: perguntem-me... Está bem, não perguntem, mas eu respondo na mesma.
Leiam. Felizmente, as bibliotecas municipais e outras que tais ainda não cobram tarifa pelo cartão de leitor ou pelo empréstimo de livros. Só eu sei a dimensão da dívida que já teria contraído à custa das leituras, se fosse o caso! Portanto, não se queixem que os livros são caros e que vivemos em tempos de austeridade, pa-ta-ti, pa-tá-tá. Ou, então, levantem o traseiro de onde se encontram sentados e dirijam-se de imediato à casa de um amigo e peçam-lhe que vos confie alguns. Vejam é se não lhes dobram a capa, porque é má educação. Aproveitem e aventurem-se por géneros literários a que não estejam acostumados.
Escrevam. Mesmo que não seja em blogues ranhosos, como o meu, arranjem uma folha de qualquer tipo e desabafem com ela. Arranjem um caderno, um bloco, um diário. Asseguro-vos de que não parecerão loucos.
Organizem uma tarde animada (ou várias, de preferência!) em vossa casa com alguns amigos, mesmo que eles não se conheçam. Cada um pode levar uma parte do lanche e, assim, ninguém se queixa por arcar com todos os custos. Comam, conversem e divirtam-se... cara a cara!
Vejam televisão. Aconselho, das séries de que gosto, Era uma vez, Revenge, Glee, Anatomia de GreyUma família muito moderna, Downton Abbey e Scandal. Qual delas a melhor, nem sei... Experimentem por tentativa e erro! Nenhuma é lamechona, nenhuma é uma perda de tempo! E, se não têm televisão por cabo, vejam na Internet (eu sei que têm Internet, porque estão a ler isto).
Assim como assim, se nada do que foi mencionado vos agrada, durmam. O que vos está a faltar são umas horinhas de sono, não é? Pois é! Os vossos neurónios agradecem um pouco de descanso.

Agora que vos sugeri estas cinco ocupações, parem de "estar no tédio" e pedir perguntas. Desamparem-me o meu mural, criaturas, mas, acima de tudo, arranjem um propósito na vida que não consista em responder a questões sobre a vossa intimidade a gente bisbilhoteira! Isso não vos leva a lado nenhum. Mal por mal, escrevam patetices num blogue que só é lido por 33 pessoas (cá estou eu, tentando validar a minha própria SCA). Não há melhor maneira de iniciar o novo ano! Não há melhor resolução!