Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Oh Beatriz, e as fotos do teu baile de finalistas?

Baile de finalistas do secundário??? Xiiiiii, isso não foi já há uma eternidade? Não foi, tipo, há três milénios atrás?

Não. Foi (só) há 11 meses.

E, tal como também eu andei à espera daquela noite para mostrar o quão bela posso tornar-me quando me arranjo (ou seja, sem ser quando atiro assim um bocadinho para o monstruoso), muitas outras pessoas estão prestes a viver o seu momento debaixo das luzes da ribalta do seu baile de finalistas. Eu sei que, agora que estão nesse lugar, é tudo muito fofinho e coiso e tal, vestidos e fatos novos (ou herdados à força do pai ou da mãe, em todo o caso), mas quando cá chegarem a este lado - ao lado onde estão aqueles que já paparam muitos bailes de finalistas ao longo da sua curtíssima vida, inclusivé o do 12º ano - vão ver que... sim, continua a ser tudo muito fofinho, com a nossa expressão de júbilo espetada nas fotos ("espero que o fotógrafo capte o meu melhor lado, vamos a ver"), mas o momento em si já passou e isso é que foi o melhor.

Enfim, restam-nos sempre, sempre as fotografias, não é verdade?

Por isso, gostaria de partilhar convosco as minhas. Foram prometidas, mas depois fui-me esquecendo de as mostrar aqui, principalmente porque as do fotógrafo ainda demoraram algum tempo a ser encomendadas e a chegarem.

 

 

Para provar como não são necessários grandes investimentos para se ir como deve ser para um baile de finalistas, porventura inspirando quem procure inspiração low cost, eis a minha toilette:

 

Vestido: Pull&Bear (22ª fotografia) - 27€ - depois do baile, já o devo ter vestido mais de milhentas vezes, porque, dependendo dos acessórios e dos sapatos, dá para usar em todas as ocasiões, de Abril a Outubro

Sapatos: Deichmann - 15€ - não aconselho: são liiiiiiindos, mas descalcei-os três minutos depois de ter chegado, tais eram as dores (só os calcei praticamente para tirar fotografias e receber a fita)

Brincos: directamente importados... da caixa de brincos da minha tia! ah ah ah

Pulseira: directamente importada da minha própria caixa de pulseiras

Verniz: Cliché - Porcelana

Cabelo: levou ali uns ondulamentos, uma bandolete que já tenho há c'anos et voilà!

Maquilhagem: um batom avermelhado que já tinha comprado nos saldos da Women's Secret por 1€, lápis preto pseudo-à-prova-de-água da Essence, sombra branca, cinzenta e castanha também de uma palete da Essence

 

 

Casaco: ... que tenho há anos, de que já gostei, mas depois olhei para ele e percebi que era melhor não o mostrar muito sem ser em ocasiões especiais, ou ainda me confundiriam com a namorada de um mui reputado traficante de pêlo de animais (mas o casaco é sintético, juro!, foi comprado numa estação de Metro de Lisboa)

Mala: da tia, again

 

 

Namorado: produto português de enorme qualidade, com barba e tudo - edição limitada e descontinuada no mercado, pelo que já não há mais iguais a este! =)

 

Então, Beatriz, bailaste muito?

Foi um baile bonito, sim senhor. Contra todas as minhas baixíííííssimas expectativas, a comida foi boa, ninguém andou à sova nem atrofiou com ninguém, deu para dançarmos (diria melhor "fazermos figurinhas tristes, mas alegres") um bocadinho, só uma colega minha é que caiu das escadas e até os fotógrafos e os empregados eram simpáticos. AH, e não choveu durante a noite inteira, caso quiséssemos ir lá para fora. Fez foi um frio do caneco, mas nada que não se resolvesse com o meu casaco ultra-mega-quente-e-foleiro. Acho que a única coisa má que tenho a apontar é os meus sapatos, apesar de lindos, maravilhosos e fantásticos, terem-me obrigado a descalçá-los pouco depois de ter chegado ao restaurante e a andar com eles na mão - ora a usá-los, ora a tirá-los - o que foi muito triste. De resto, os vídeos que algumas das turmas fizeram eram - com todo o respeito - uma autêntica seca, mas, no final, sobrevivemos todos e isso é que interessa. Já agora, as faixas de finalista da minha turma foram as mais bonitas, azuis escuras para dar no olho. E cantei karaoke. E um amigo do senhor meu namorado disse-lhe que eu era "toda boa". Portanto, gostei muito, foi engraçado e, falando nas fotos, hei-de as partilhar convosco quando o fotógrafo as revelar (a 3€ cada uma, vou gastar uma pipa de massa, ai ai).

O meu baile de finalistas descrito em 624 palavras

Amanhã é o dia do meu baile de finalistas. Já tenho o vestido desde as férias da Páscoa e os sapatos desde a sexta-feira passada (ao fim duma volta inteira ao Almada Fórum e um namorado a morrer de fome). Portanto, não há naaaaaada a correr mal. Excepto TUDO.

Passo a explicar… Quase nenhuma turma finalista de relaciona com as outras, excepto algumas pessoas. Por vezes, nem dentro das próprias turmas nos suportamos. No entanto, um baile teve de ser organizado, nem que as vacas parissem cães. Tal processo foi muito complicado, mas foi possível (organizar o dito evento, não modificar as crias de um qualquer animal). Depois de muitas discussões virtualmente acesas num grupo de Facebook criado para o efeito, muitas indirectas, muita raiva, dúvida e revolta, amanhã haverá um baile. O maior problema desta situação foi TODA a gente querer fazer parte de TODA a santa decisão, desde a cor das cadeiras até ao conteúdo das entradas e dos aperitivos, instalando-se a discórdia de forma permanente, apesar de quase ninguém se ter lembrado de começar a mexer o traseiro até meia dúzia de alminhas ter acordado para vida (eu e mais algumas colegas, haja paciência!), já a meio do 2ª período.

Portanto, uma vez que eu nem sequer travei grandes amizades neste secundário - e as que travei ou deram para o torto ou simplesmente esmoreceram – o grupo de pessoas com quem poderei, eventualmente, conversar durante o jantar, será bastante restrito. Contam-se pelos dedos. A Cara de Panqueca também dará o ar de sua presença (ai dela…!) e poderá, quem sabe, contribuir para uma noite mais bem passada. De resto, prevejo que alguém dê em criar desacatos e em andar à pancada (pelo menos, aquela que o fato de 348658675876895€ lhe permitir), que alguém barafuste porque não gosta do menu oferecido (até poderei ser eu), que vai haver muita gente a chorar falsas lágrimas de crocodilo (já vi esse filme no baile do 9º ano) e problemas técnicos no que toca a passar vídeos e imagens das turmas, etc e tal. Já estou a ver a cena!

Para entretenimento das massas, o senhor meu namorado e outro amigo nosso irão espalhar o caos com atrofianço q.b.. Eu teria cuidado! Só ontem, aterrorizaram três ex-colegas em apenas uma hora através dos seus poderes de manipulação psicológica e de retórica, recorrendo a um método corriqueiramente denominado de “atirar/mandar bocas”. Não confundam com bullying, pois este é um método totalmente inofensivo baseado em gritar publicamente falácias sobre a vítima, falácias essas em que ela acaba a acreditar. Serve o barrete a quem lhe aprouver (e até é bem feito para certas pessoas, se querem que vos diga…).

Pessoalmente, os meus objectivos para a noite são divertir-me com os meus dear fellows, ser eleita rainha (ei, até estou nomeada!, mas isso não vai acontecer, uma vez que a concorrência tem maiores rabos e pares de mamas), ser eleita outra coisa qualquer através das categorias alternativas que eu e uma colega de Artes decidimos criar (votem na Beatriz e no Ricardo para Melhor Par de Jarras!) e, sumariamente, exibir os meus sapatos espampanantes e o vestido curto que me realça as ancas recém-obtidas graças a essa coisa da puberdade, tal como as minhas pernas compridas e não celulíticas.

Eu sei que pareço muito fútil a contar-vos sobre isto, mas um dia não são dias e eu sou uma gaja, e o que é que uma gaja faz?, uma gaja avalia mentalmente todas as outras gajas e espera obter boas avaliações de volta, mesmo que nunca as venha a saber. Portanto, tenham lá paciência, que isto é sol de pouca dura e no sábado eu já regresso ao meu estado normal de bicho dos livros e sonsa pseudo-intelectual.