Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

I'm not dead (yet)

Até agora, estas férias têm sido bem melhores do que eu pensava que seriam. No início, imaginei mais três meses enfiada em casa, a sofrer dores e torturas com os 42ºC de temperatura média por estas bandas, estorricando os miolos a tudo o que os tem. Afinal, isto tem sido uma alegria. Entre ser operada ao raio do dente, ter a minha primeira entrevista de emprego EVER, ir para a piscina da sô-dona Cara de Panqueca, ir para a minha, namorado aqui, amigas ali, não me tenho aborrecido nada. Nem os Angry Birds o deixariam! (Sim, eu só conheci os Angry Birds anteontem, não gozem...) E até é uma vergonha deixar este blogue ao abandono, só que... o computador produz taaaanto calor! E sinto-me tãããão mole... Vocês entendem, não é? Lamento a falta de eloquência da minha pessoa nestes últimos dias, mas não há mesmo nada que ela possa fazer contra esta anestesia nervosa que tem vindo a sentir.

Bom dia!


Ia publicar isto no Facebook, mas depois lembrei-me que, ontem, dei ordem ao senhor meu namorado para me mudar a password da minha conta (parece que é impossível fazê-lo a partir do telemóvel), "terminando sessão em todos os dispositivos", pelo que... acabou por terminar sessão na aplicação do dumbphone, as well... Como a criatura não tem saldo no telemóvel e o meu querido pai usufruía do seu direito ao computador, continuo sem saber qual é a palavra-passe que me foi destinada. Ai, ai.

[Enquanto escrevia esta publicação, arranjei maneira de poder trocar de password sem denunciar um problema de segurança facebookiano. Ainda assim, acho que vou esperar por saber qual foi a ideia do moço, já que eu, para passwords, sou uma naba a criá-las.]

entre pirosices e pirosadas, há quem vá aos chineses e não gaste dinheiradas

   Ainda estava eu em casa dos meus tios, em Braga, quando uma bela tarde fui abrir a minha mala do portátil e o último fecho éclair da bolsa mais importante, aquela onde se guarda o dito cujo, foi projectado sabe-se lá para onde (raios parta o plástico de má qualidade). No comboio para o Norte, o primeiro já tinha ido ao ar, mas irem logo os dois era o cúmulo! Um escândalo! Primeiro, fiquei impávida do choque, recompondo-me a seguir e decidindo que estava na hora de comprar uma mala nova (e mais bonita, de preferência, que a outra era um bocado horrível). Não seria uma mala desfeita e inutilizada que me estragaria as férias!


   Mas passou-se mais de uma semana em Braga, estava quase na altura de voltar para casa e, mala para portátil, nem vê-la. Fui à Fnac, fui à Staples, percorri o centro comercial... Só que continuava indecisa sobre a mala que deveria comprar! E nem sequer tinha tido tempo de dar uma olhadela na feira!


   Na última noite antes de regressar, levaram-me a passear ao centro da cidade e, maravilha das maravilhas, encontrámos uma loja dos chineses aberta (grandes comerciantes, às dez da noite em funcionamento, hein?!, eles é que sabem). Entrámos por mera curiosidade, eu sem esperança, a minha tia com muita, os meus primos entediados, o meu tio impaciente.


   E encontrei-a.



Sofisticação e pirosice, tudo no mesmíssimo ítem, pela módica quantia de... 9,50€!!!


Fiquei para morrer, levei-a dali porque era a última e eu partiria no dia seguinte. É leve e tem o espaço suficiente para o meu Tó Bicha, respectivo carregador e outros acessórios. Espero que sejamos felizes durante algum tempo! E ai de quem diga mal da minha malinha!


os tempos mudam





Encontro-me, neste momento, num estado intermédio. Ainda pertenço ao Hotmail (e nem sequer quero pensar no dia em que me mudarei para o Gmail, o domínio dos crescidos!) mas já lá vai o tempo em que o meu endereço era trollforce@hotmail.com. Entretanto, já cheguei à conclusão de que é muito mais prático o meu nome fazer parte dele.

E a isto, minha gente, se chama CRESCER.


ai, ai, ai, vá de retro!

Não sei como nem porquê, escrevi "actividades" no meu Word (versão 2007) e ele acusou-me erro de escrita (sim, palavra sublinhada a vermelho!). Pedi as respectivas opções de correcção e surgiu-me, em primeiro lugar "atividades". À experiência, atrevi-me a escrever "acto". Mais uma vez, acusou incorrecção. Tentei, já apreensiva, "ato". Nada. Está tudo muito bem escrito, quase podia ouvir o Word troçar.


 


Raios partam o acordo ortográfico e as actualizações automáticas do computador.

RANDOM COOLNESS - ou - OS 5 DESEJOS DO MOMENTO

Sabem o que seria fixe?


 


1. Pararem de me enviar mensagens-corrente, principalmente aquelas sobre causas humanitárias da carochinha, aquelas que trazem milhentos vírus e aquelas que recebo desde o quinto ano, que só dão é vontade de... "Del".


2. Eu ter dinheiro para comprar um portátil. Mas, como em tudo em Portugal, o pobre coitado do meu computador só poderá reformar-se aos 65 (só lhe faltam 57, ufa!) e não existe capital para contratar mão-de-obra jovem e inovadora - se é que me entendem.


3. A professora de Geografia A parar de adiar a data de entrega dos trabalhos, porque isso baralha mesmo uma pessoa, acreditem ou não.


4. Eu ter conseguido ver ou tirar fotos ao enunciado do teste de História A (marcado para sexta-feira), de que a professora se esqueceu dentro do livro de ponto. Seria muito mais fácil tirar um 20. Infelizmente, tal oportunidade não se proporcionou. What a shame...


5. Eu não ter de fazer uma apresentação de CACA - perdoem-me a expressão - para Inglês. Acho que já estamos todos fartos de saber como poupar energia. Saving Energy Tips = Bull Sh*t.

eureka

 


De acordo com a teoria "as mulheres conseguem fazer imensas coisas ao mesmo tempo, mas apenas os homens conseguem fazer algo na perfeição", concluo, sabiamente, que o meu computador é um aparelho do sexo feminino - COM MUITO ORGULHO.