Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

O tempo perguntou ao tempo quanto tempo o tempo tem, o tempo respondeu ao tempo que o tempo tem o tempo que o tempo tem - mas o meu tempo parece ter mais tempo do que o vosso, just sayin'...

Um dia, hei-de entender como é que há pessoas que são capazes de abdicar de uma boa noite de sono porque precisam de estudar ou de fazer trabalhos, e que, por vezes, se afogam em café e bebidas energéticas para manterem a concentração. Encharcam-se neles, assim sem mais nem menos.

Portanto, ou o meu curso é muito fácil, ou eu sou pouco exigente, ou os outros é que estão em cursos destinados a formar pequenos génios, ou eles é que têm objectivos muito elevados. Porque a probabilidade de eu dormir menos do que seis horas e meia por noite para pôr os assuntos da faculdade em ordem é praticamente nula – e isto está a ser escrito pela pior gestora de tempo que poderão conhecer, que se distrai constantemente! Nem enquanto tive de trabalhar e estudar em simultâneo me permiti cometer tal atrocidade para com o meu cérebro.

Sabem… é que o meu cérebro precisa realmente que eu durma, senão põe-se a fazer birra e faz com que eu ande, involuntariamente, a dormir durante o dia aquilo que me recusei dormir à noite. Basta não dormir, pelo menos, sete horas por noite, para que ele me chague a paciência e me condene a comportar-me como um zombie até lhe fazer a vontade.

O meu método é ir dormir o mais cedo possível. A partir das oito da noite, principalmente depois do jantar, a minha mioleira fica dormente e qualquer actividade que implique um esforço mínimo da sua parte é rejeitada. Fico em branco. A partir dessa hora, até a Casa dos Segredos se torna um programa altamente problemático de acompanhar. Deste modo, chego a adormecer constantemente antes de o telejornal acabar, nem que seja no sofá.

Na manhã seguinte, levanto-me cedo. São raras as ocasiões em que acordo depois das oito ou nove horas. Até ao almoço, os meus recursos intelectualóides encontram-se no pico da sua actividade, fazendo deste período do dia o mais propício para estudar ou para fazer trabalhos. Assim, resta-me fazer revisões e ir às aulas à tarde, dormir à noite e… acabou-se! Em suma, prefiro dormir e ter notas menos boas, do que não dormir e ter… - esqueçam, eu nunca teria boas notas sem dormir!

Ora, tenho sabido de imensa gente, entre amigos e conhecidos, que é capaz de fazer directas, como se permanecer uma noite em claro fosse algo completamente normal e absolutamente aceitável! Credo, minha rica sanidade! Apesar de regadinhas com cafeína a litros e outros estimulantes para isto e para aquilo, como é que estas criaturas serão capazes de enfrentar as aulas e, até, a vida social??? Digam-me, gente… Como? Se eu já me vejo grega, troiana, romana, banana, para sair da cama com oito descansadas horas de sono, pergunto-me qual será o segredo de quem nem de metade usufrui. Está bem, raramente bebo café, nunca gostei de outras bebidas que não fossem refrigerantes e néctares sem gás e o único suplemento vitamínico que tomo é para fortalecer o cabelo e as unhas, maaaaaas… Vá lá, mesmo quando ataco um ou dois cappuccinos duma vez, acabo inevitavelmente a cair para o lado antes das onze da noite!

Assim sendo, expliquem-me, criaturas que estudam seja o que for e que não se importam de não dormir o que o vosso corpo pede que durmam, por que é que vocêses têm tanta falta de tempo, apesar de parecerem todos tão organizadinhos? De quem é a culpa? Vossa? Dos bichos de mil-cabeças que são os vossos cursos? Da pressão dos vossos pais, da pressão dos professores, da pressão da sociedade e do mercado de trabalho? Agradecia esclarecimentos, porque começo a pensar que sou a única universitária a não estudar mais de três horas por dia e a manter os seus hobbies mediocremente em activo, sem precisar de abdicar de um satisfatório horário de descanso.

Motivo de insónia

Preocupações? Com a minha idade e em tempo de férias, nenhumas.
Cérebro excitado por estar demasiado tempo à frente da televisão e do computador? Fora de questão, ou não tivesse eu passado o dia fora de casa.
Digestão problemática, será...? Nem por isso - já jantei há um tempo.
E este calor, e este calor?? Aguenta-se, que é para isso que o Verão servr.

Carìssimos, o que eu tenho é uma grande e dolorosa borbulha nas costas.

o meu top 5 da procrastinação nocturna

1. Ligar a Internet e andar a saltar entre o Sitemeter (contador de visitas do blogue), o Hotmail, o Facebook, o Youtube e outros blogues;


2. Enfiar-me na cama à espera que o sono venha - raramente vem a horas decentes;


3. Sentar-me em qualquer lado a pensar nas coisas que tenho de fazer, mas que não faço porque levantar-me exige demasiado esforço;


4. Ir fazer chichi, beber água e lavar os dentes - mesmo que já o tenha feito há meia hora atrás;


5. Escrever listas parvas... como esta.

o meu top 5 da procrastinação nocturna

1. Ligar a Internet e andar a saltar entre o Sitemeter (contador de visitas do blogue), o Hotmail, o Facebook, o Youtube e outros blogues;

2. Enfiar-me na cama à espera que o sono venha - raramente vem a horas decentes;

3. Sentar-me em qualquer lado a pensar nas coisas que tenho de fazer, mas que não faço porque levantar-me exige demasiado esforço;

4. Ir fazer chichi, beber água e lavar os dentes - mesmo que já o tenha feito há meia hora atrás;

5. Escrever listas parvas... como esta.