Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Prato do dia: Belieber com tatuagem

"Tenho a certeza de que não me vou arrepender disto [...] o meu amor por ele vai sempre crescer!"


Eu não costumo ser tão rude para outras raparigas em plena Internet, mas a miúda aos 2:16, apesar de precisar URGENTEMENTE de um namorado, nenhum Ser - humano ou não, do sexo feminino ou masculino, ou mesmo hermafrodita - lhe vai alguma vez pegar. Não com aquelas tatuagens e aquela obsessão toda a transbordarem-lhe pelos poros (literalmente!).
Só espero que nenhuma força divina ou diabólica me castigue por este meu menos simpático pensamento e não me venha a reservar, num futuro a longo prazo, uma filha como ela.

O Bieber baldou-se

O QUÊ?!
O Justin Bieber cancelou um dos dois concertos que viria dar a Portugal?! Repitam lá isso outra vez...
A sério?!
Mas tipo... A SÉRIO??????

C'mon, ele é apenas mais uma estrela adolescente com o rei na barriga. Qual é a surpresa? Até parece que caiu um santo do altar...
Mentalizem-se: não vale a pena adorarem um ídolo musical como se adora um deus, muito menos se ele alega ter 19 anos quando até eu tenho mais barba (diria melhor buço) do que o garoto.
Os artistas só querem saber do dinheirinho deles, das casinhas deles, das famílias deles (quando calha) e da sua imagem pública. Eles estão-se pouco cagando - perdoem-me a expressão - para vocês, que lhes compram os álbuns em versão alargada mal eles são lançados, fazem fila para os seus concertos durante três dias ao frio e à chuva se for preciso, elaboram cartazes com declarações de amor em inglês duvidoso para agitarem no ar durante toda a noite e lhes deixam intermináveis mensagens e comentários no Facebook e no Youtube. Ainda por cima, num país tão "periférico" como Portugal (como é que vocês acham que os americanos nos vêem, ham?), já não é a primeira vez que somos desprezados por suas altezas, os fofuxos da indústria musical.
Portanto, toca a crescer e a gostar de música pela música, porque tem qualidade e merece ser valorizada, não porque vos é vendida a imagem de rapazes adolescentes cheios de maquilhagem e vestidos com swag. Verdadeiro estilo detêm os homens reais que, um dia, vos sustentarem o estômago e a gula, e a esses já vocês são capazes de vir a torcer o nariz.

ai, hoje deu-me uma forte e feia!


Sim, esta sou eu e uma das minhas melhores amigas de infância a cantar um hit do Bieber. Ela é um ano mais velha que eu, mas nem assim disse que não a esta loucura. IT'S ALL OVER THE INTERNET (quase)Até gostei e teve a sua piada. Eu nunca tinha tocado esta música (fui descobrindo os acordes por ouvido) e a Cassie nunca tinha feito rap. A Érica (irmã dela), que ainda é um bocado mais nova que nós, foi a que teve mais juízo (supostamente...!) e decidiu ficar-se atrás da câmera. Na verdade, quero lá saber que a música seja do mais lame possível e que nem faça parte dos nossos gostos pessoais. Divertimo-nos imenso, como podem verificar! Nada mais importa...

somente para mentes abertas

Eu sei que existe aquele dogma social de que o Justin Bieber é menina, agayzado, tem cara de puto e que não presta. Além disso, faz música ainda mais maricas. Blá, blá, blá. Está bem, o rapaz não canta rock nem metal, não tem muita barba visível nem músculos à Triple H, quando iniciou a carreira ainda tinha voz e corpo pré-púbere e namora com uma miúda mais velha, mas isso não deveria interferir com o artista em quem ele se está a tornar. Ninguém lhe conhece nenhum escândalo, ninguém lhe pode apontar um dedo e dizer "desrespeitaste esta e aquela pessoa, insultaste aquele povo, andaste a guiar a altas velocidades, tornaste-te viciado em drogas e em álcool", havendo tanto problema no mundo sem que haja quem se preocupe devidamente, porque estão todos demasiado ocupados a ser haters do Bieber. Muita gente odeia-o por odiar, sem fundamentar tal opinião e isso dá-me uma certa azia. Posso não ser fã dele e comprar todas as revistas para que dá entrevistas ou onde saem aqueles testes manhosos do "quem seria a estrela teen com quem namorarias?", na esperança de que fosse ele a calhar-me, mas sei reconhecer o mérito que tem enquanto artista musical. Se, há dois anos, ele compunha temas menos maduros e mais comerciais, agora já evoluiu ao ponto de ter começado a tentar novos estilos de música, que nada têm a ver com a tão batida "One Time" ou a recordista "Baby", e a fazer videoclipes cada vez mais interessantes. Posso não ser a maior fã dele, mas penso que quem o menospreza (e a muitos outros artistas, claro) está apenas a perder tempo. Afinal, enquanto crescem os comentários ofensivos e desnecessários nos seus vídeos do Youtube e por essa Internet fora, enquanto milhões de haters não desistem de o deitar abaixo, o Bieber continua a crescer como pessoa, a evoluir enquanto músico, a criar parcerias com outros artistas de renome e a enriquecer como só gente grande consegue. Tenho dito: dor de cotovelo é feia e faz mal à saúde.