Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Os meus sítios favoritos na Tailândia #3: Bangkok Art and Culture Center (BACC)

IMG_25601228_165004.jpg 

Tenho uma predilecção por galerias e museus bem iluminados, como é o caso do Bangkok Art and Culture Center (BACC). Não gosto daqueles com todas as entradas de luz vedadas, com tectos baixos e paredes escuras. Se não houver janelas, pelo menos que haja outras fontes de iluminação e tectos altos. Assim, gosto do BACC, por ser arejado, minimalista, arrumadinho, cheio de vida.

 

IMG_25601228_153852.jpg

O BACC é um centro cultural e de arte contemporânea enorme. Tem mais de sete andares (acho que oito ou nove, mas não tenho a certeza), intelrigados por escadas rolantes ou, a partir do sétimo andar, por uma rampa contínua. Há exposições permanentes, outras temporárias. Enquanto visitante, consigo perceber que o objectivo é juntar a tradição ao mais recente, entre fotografia, desenho, pintura, artesanato, escultura e tantos outros tipos de arte. Um dos motivos mais recorrentes é, obviamente, a figura do rei Rama IX, falecido em Outubro de 2016, mas ainda (provavelmente, para sempre) adorado pelo povo.

 

IMG_25601228_171204.jpg

Inclusivamente, uma das exposições que visitei é a das fotografias que o rei Bhumibol (o nome de Rama IX), um indivíduo versátil e com interesses artísticos variados, principalmente música e fotografia, tirou ao longo da sua vida. Curiosidades acerca desta exposição: uma secção inteiramente dedicada à sua cadela favorita, outra secção só com fotos da rainha (desde os 20 até aos 80 anos), outra com fotos dos filhos e alguns netos... O destaque dado a estas figuras na sua vida só demonstram o grande homem que, imagino, foi.

 

IMG_25601228_163217.jpg

IMG_25601228_164808.jpg

IMG_25601228_163226.jpg

Dito isto, resta-me recomendar que, caso passem por Banguecoque, possam também visitar o Bangkok Art and Culture Center (BAAC), com ligação ao sky train e com toda a luz, conforto, criatividade e ausência de hordas de gente de que todos precisamos para sermos felizes numa galeria de arte!

 

IMG_25601228_153026.jpg

IMG_25601228_164911.jpg

1 semana em Paris!

Eis que voltei, eis que voltei de Paris! Quer dizer, já voltei há mais de 48 horas, mas vejo-me sempre obrigada a dar tempo ao tempo, numa espécie de recuperação dos hábitos na situação pós-viagem: matar saudades da minha casa, estar com a minha família, ver e rever as fotos com eles, distribuir os souvenirs... e, é claro, pôr o estudo em dia - este último, principalmente, porque...

Acabei por ficar em Paris mais dois dias do que o previsto, devido à greve dos controladores aéreos em França de 8 a 9 de Abril. Não veio nada a calhar este imprevisto, mas por acaso conseguimos os últimos dois lugares no vôo de dia 10 e, sabe-se lá como, vagas de última hora, com um preço em conta, no hostel onde que estávamos alojadas (foi incrível, visto estar com os quartos quase todos ocupados). Eu e a Inês não nos atrapalhámos, mas os gastos extra repentinos e dois dias de aulas perdidos, mais um teste a que ela faltou, não nos deixaram propriamente animadas.

Seja como for, eis o resumo da nossa viagem a Paris, de que gostámos bastante!

 

Dia 1: chegada a Paris à hora de almoço, seguida de sightseeing, com ponto de partida nos Champs de Mars/Torre Eiffel. Ainda tínhamos reservado um cruzeiro pelo rio Sena, mas não conseguimos aguentar o frio do fim da tarde (que gelo!) e, com muita pena, regressámos ao hostel.

collage1.jpg

 

Dia 2: Palácio de Versalhes, respectivos jardins e "palacetes" Trianon; ao fim da tarde, visita ao Arco do Triunfo (últimas três fotos na última linha), passeio pelos Campos Elísios e, obviamente, à FNAC E À YVES ROCHER DOS CAMPOS ELÍSIOS!!!

 

collage2.jpg

 

Dia 3: Museu do Louvre (Mona Lisa = meh!), Palácio/Ópera Garnier e Catedral de Notre-Dame (esta última, extremamente desapontante, depois de termos entrado em contacto com a grandeza da ópera). Também passámos pelo Quartier Latin, onde fica a Sorbonne. E também uma papelaria e uma livraria com livros em segunda mão, onde eu tinha mesmo, mesmo que parar!

collage3.jpg

 

Dia 4: suposta despedida de Paris, com regresso aos Champs de Mars e à Torre Eiffel, assim como aos Campos Elísios. Ainda tentámos ir aos Invalides, mas a visita do presidente da Tunísia a Paris nesse dia fez com que muitas ruas fossem fechadas - nomeadamente as que rodeavam os próprios Invalides. (Pouco depois de regressarmos aos hostel, recebemos a mensagem que nos avisava do cancelamento do nosso vôo, agendado para a manhã seguinte, devido à tal greve dos controladores aéreos franceses.)

 

collage4.jpg

 

Dia 5: manhã para descontrair no hostel, tarde para visitar os Invalides (encontrávamo-nos demasiado cansadas e com poucos bilhetes de Metro disponíveis, por isso não nos deu para visitar mais nada). O Palácio dos Inválidos foi mandado construir pelo rei Luís XIV em 1670, para dar abrigo e assistência aos inválidos de guerra. Actualmente, é onde está montado o Museu Militar e também onde foi sepultado Napoleão Bonaparte (vá, onde lhe colocaram o sarcófago com as suas cinzas), assim como muitas outras figuras ilustres da história francesa (militares, na sua maioria).

collage5.jpg

Dia 6: estudar e procrastinar. Já nem tínhamos mais bilhetes de Metro.

Dia 7: regressámos à mui querida terrinha de Portugal, depois da ilustre visita à civilização. Finalmente, pudemos comer uma refeição sem ser fast food, bolachas ou comida de microondas!

 

Em breve: "Como visitar Paris com 200€". O que acham?