Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Traduções

Há umas semanas, li um ensaio em Estudos de Cinema acerca da impossibilidade de alcançar o texto fílmico. É impossível citar o texto de um filme (imagem, som, ruído, mise-en-scène, todas essas dimensões e outras ao mesmo tempo) ou descrevê-lo sem lhe retirar valor ou falhar na menção de quaisquer características.
Contudo, eu acho que o filme não é o único texto inatingível. A vida em geral, mas em particular as emoções, são um texto intraduzível em palavras, ditas ou escritas. As emoções existem e, por muito que as tentemos materializar num texto escrito, rapidamente damos a nossa tarefa por eternamente incompleta.
Como poderemos, alguma vez, comunicar o quanto amamos alguém, ou o quanto nos afecta a solidão ou a falta de esperança? Existem sequer palavras suficientes para tornar inteligível a sensação de embaraço, de perda, de alegria ou de orgulho por pertencemos a um determinado grupo de amigos? Apesar de ser possível tentar chegar a uma descrição assertiva acerca de emoções e sentimentos, dificilmente ultrapassaremos a barreira da subjectividade das palavras.
As palavras são só símbolos e nada mais. Cada um de nós atribui-lhes significados distintos e elas... elas são sempre as mesmas.

Badalhoquices

Não entendo a aversão da generalidade das pessoas à palavra "badalhoco". Dizem que é feia, ordinária, sem classe. Pessoalmente, nunca a achei nada disso. Pelo contrário, encontro-lhe uma faceta muito sua, as sílabas provocadoras, sonantes - ba-da-lho-co... É-lhe característico (ou sou eu que imagino) um sentido de humor mordaz e versátil, que não tem de ser obrigatoriamente associado à promiscuidade, podendo ser, antes, empregue ao serviço da boa disposição e do sarcasmo ocasional. Digo eu, verbalmente badalhoca...

aprende-se todos os dias

   Hoje, por exemplo, aprendi que desinteria é a palavra soft para diarreia.


  Também descobri que o suplemento alimentar que ando a tomar para combater o stress e a ansiedade, um complexo de magnésio, contém um mineral chamado manganésio, que, segundo a Internet, pode causar irritações de pele, o que explica, possivelmente, eu andar cheia de borbulhas na cara.


   Como não há duas sem três, aprendi que, em Francês, carteira é porte-monnaie.


 


   Ah, e andei sozinha de comboio pela primeira vez na vida. (yupiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!)


 


Tenho uma vida tão animada.