Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Dez perguntas de gaja a que (ainda) não tenho resposta

1 - Qual é a diferença entre fazer o risco nos olhos com lápis ou com eyeliner?

2 - É normal cair-nos imenso cabelo sempre que o lavamos?

3 - A esteticista tem nojo de nós quando aparecemos todas peludas e pensa mal das nossas pessoas por termos sido badalhocas e nos termos desleixado de tal forma?

4 - É aceitável e frequente faltar-nos a paciência para exterminar a nossa monocelha em insistente crescimento?

5 - Os saltos altos são desconfortáveis por natureza, quem os usa sofre horrores e sacrifícios ou sou só eu que não acerto na marca e na sapataria certas e que, enfimm sou uma anormalóide com pés de homem?

6 - As leggings podem usar-se por baixo de vestidos sem nos deixarem pirosonas?

7 - Os enroladores de pestanas não as enfraquecem?

8 - Aquilo de dizerem que, se fizermos a depilação com cera, obtemos duas semanas sem pêlos, é a mais pura das mentiras - não é?

9 - Os cremes que supostamente retardam o crescimento dos pêlos funcionam ou é só marketing? E não fazem mal à pele?

10 - Uma senhora a sério que se preze não come nem se maquilha nos transportes públicos?

2 desafios, 16 perguntas, 5 nomeados e muita procrastinação

E......... as publicações em cadeia voltaram! Eu a pensar que isso era tãããããão 2010, mas afinal regressaram em força neste rico ano de 2014. Como todas as modas, foi e veio! Numa questão de dias, tive algumas nomeações para dois desafios, o primeiro dos quais da parte de três pessoas: o Bruno do Produto Oficial Não Licenciado, a Alexandra do Deixa Para Depois e a Filippa de No Mundo de Filippa. A Filippa também me nomeou para um segundo desafio.

 

Então, as perguntas e respostas do primeiro desafio são:

 

1- O que você não sai de casa sem?  (uma pérola que foi obviamente mal traduzida do Inglês, mas pronto)

Raramente saio de casa sem a minha pequena mala à tiracolo ou com a minha mochila (a da Adidas está a pedir reforma, por isso comprei uma nova da Nike que estava em desconto). Só uso a malinha quando vou ao supermercado ou a algum sítio que fique perto de casa. Quanto à mochila, utilizo-a bastante mais vezes, seja onde for que vou. Dar um passeio, viajar, ir à faculdade… Serve para tudo, mete-se lá tudo e é só meter às costas!

 

2 – Qual o seu animal favorito?

O cão, sem dúvida! Já tive alguns, já cheguei a ter quatro ao mesmo tempo e agora só tenho dois. Não costumava engraçar com gatos, mas desde Maio que tenho as minhas duas gatinhas bebés e estou perdida de amores por elas.

 

 

 

 (Daqui.)

 

3 – Qual o seu sapato favorito?

Primo pelo conforto. Por isso, não há nada como as minhas botas altas Timberland, um par de ténis de boa qualidade ou um simples par de chinelos de enfiar no dedo. Também aconselho aquelas sapatilhas de 3€ da Primark, o calçado mais confortável para o Verão e para a meia-estação.

 

4 – Produto de maquilhagem indispensável?

A base deixa-me os poros inflamados, o rímel enfraquece-me as pestanas (que já não são abundantes nem fortes por natureza). Em suma, posso passar bem apenas com o meu lápis preto e uma palete de sombras. Ocasionalmente, batom cor-de-rosa ou vermelho.

 

5 – Qual o seu maior sonho?

Entre ser uma professora satisfeita com as suas condições de trabalho, ter uma livraria, ter um emprego na área da promoção cultural ou ser uma escritora a tempo inteiro… será que posso ser tudo isso em diversas fases do imenso tempo de vida que julgo restar-me? Sem esquecer, é claro, uma família feliz e amigos por perto.

 

6 – Qual o seu maior defeito?

Sou muito crítica com os outros, até deve irritar! Eu sei que irrita.

 

7 – O que te irrita nas pessoas?

Acima de tudo, a falta de modéstia e de capacidade para olharem para os seus próprios umbigos. Ou, por outro lado, a falta de auto-estima e de amor próprio.

 

8 – Qual a sua comida favorita?

Carne de porco à alentejana ou qualquer tipo de marisco à descrição. Sou mesmo tuga! Ok, também adoro chow-mein.

 

9 – Doce ou salgado?

Varia com os dias.

 

10 – O que te deixa feliz?

Família, amigos, objectivos por cumprir, trabalho para fazer, um mundo inteiro para aprender, muitas páginas em branco por escrever… Entre tantos outros pormenores de que me poderei estar a esquecer!

 

11- Escolha 5 blogs para fazer essa Tag.

Esta pergunta terá resposta no final do próximo desafio, no final desta publicação.

 

 

Como referi anteriormente, a Filippa também me nomeou para outro desafio, para o qual respondemos a 5 perguntas pensadas por quem nos passou a corrente. E estas foram as da Filippa:

 

1 - Quais eram as tuas expectativas quando criaste o blog?

Queria ser compreendida e ouvir o eco da minha voz virtual. Metaforicamente, claro. Olhem, eu era apenas mais uma miúda que estava com pseudo-problemas de adolescente e achei que, ao criar o meu milésimo blogue, alguém haveria de me ajudar a lidar com os terríveis anseios das minhas hormonas. O blogue seria, assim, o mural da minha auto-comiseração. E, um par de meses depois, acordei e achei que a minha existência valia mais do que isso.

 

2 - Quais os maiores desafios na hora de manter um blog?

Arranjar um tema sobre o qual se possa escrever. Aliás, corrijo, o maior desafio não é arranjá-lo, mas sim lembrarmo-nos dele depois de sairmos do banho/acordarmos no dia seguinte/conseguirmos por fim um pedaço de papel onde o possamos anotar.

 

3 - Se fosse possivel comprar o teu blog, quanto achas que ele valeria? 

O meu blogue não tem valor e, se tivesse, nem na Feira da Ladra o deixariam entrar. Acho que já nos chega a nossa própria procrastinação, quanto mais comprarmos a dos outros. É que nem oferecida!

Estou a brincar. Apenas não venderia o meu blogue, berço de tantas oportunidades e experiências que surgiram e estão por surgir!

 

4 - Imaginas-te a ter o teu blog daqui a 20 anos? 

Curiosamente, nunca pensei nessa questão. De qualquer maneira, espero que continuem a gostar de mim quando eu escrever sobre fraldas, multas de estacionamento, cortes no meu salário e rugas precoces.

 

5 - Qual foi a maior surpresa que os blogs (ou as pessoas que nele escrevem) já te provocou (ou surpreendeu)? 

Uma mão cheia de pessoas vir dizer-me que leu o meu blogue, ou que alguém conhecido o tinha feito, e que, graças ao que escrevi, tinham ficado a perceber melhor qual o curso que iriam escolher na faculdade ou que, num maior momento de desorientação, me vieram até pedir conselhos. Sabe tão bem perceber que podemos ajudar alguém com a nossa mínima experiência de vida! Sinto-me quase uma Guru da FLUL e arredores! (E não me estou a gabar, estou apenas profundamente admirada!)

 

Perguntas que lanço para os meus nomeados:

1 - 5 planos para os próximos 10 anos

2 - O que idealizas ser o amor da tua vida? Achas essa imagem mental muito ou pouco realista?

3 - Qual o maior momento de glória no teu blogue e qual o derradeiro momento em que teria dado jeito um buraco negro virtual que te engolisse?

4 - Que tipo de conselho te vês a dar aos teus filhos (provavelmente, ainda não nascidos) quando eles já tiverem idade para pensarem por si mesmos?

5 - Onde é que posso arranjar um par de ténis confortáveis e de qualidade por menos de 20€? Não, a sério, preciso mesmo dessa informação e qualquer sugestão será bem-vinda, mesmo que exceda um pouco o meu orçamento!

 

Finalmente...

Sabem, eu não leio muitos blogues... É raro manter-me diariamente fiel e lembrar-me de todos os blogues que vou lendo, agora e depois (reler resposta à pergunta 6 do 1º desafio para esclarecimentos acerca disto). Bem, vamos lá ver se consigo os cinco.

 

1 - Quadrada aka Joana do Caderno de Pensamentos. O seu Gui também pode responder, se lhe aprouver.

2 - Cláudia Oliveira do Mau Feitio, uma amante de livros como eu (e ninguém deve conseguir ler tão rapidamente quanto ela!)

3 - Charlotte do Let me Believe, uma miúda deveras simpática (na blogosfera e fora dela!) que também vai agora para o 2º ano da licenciatura!

4 - Carolina do Entre-Parêntesis, que recentemente escreveu uma publicação que reflecte mais ou menos como interpreto a sua personagem virtual/pessoa real. Curioso...

5 - Outra Carolina, a Carolina Helena do Coucou Caroline, a quem aproveito para solicitar um encontro de FREAKING QUINZE MINUTOS, algo que tenho tentado combinar com esta criatura há meses a fio, mas que acaba sempre por ser desmarcado porque, vá lá, temos aqui uma futura arquitecta e estudar para isso parece demasiado complicado para que eu possa realmente compreender este modo de vida (também prestes a iniciar o 2º ano da licenciatura).

 

 Bom trabalho a escreverem respostas (quase) tão boas quanto as minhas! Muahahahaha!

Daqui a 20 anos

Sou uma pessoa muito céptica no que toca ao futuro. Encaro-o como inevitavelmente imprevisível e permanentemente susceptível de ser alterado por uma qualquer circunstância não planeada, ou seja, um bichinho de vinte cabeças sem cara associada.

No entanto, não deixo de ter as minhas expectativas, altas ou baixas. Afinal, quem não as tem? Elas hão-de existir, nem que seja enquanto pontos de referência a atingir ou objectivos a concretizar. Não há como escapar à curiosidade e à previsão!

Deste modo, confesso que não faço mesmo a mínima das mais mínimas ideias sobre o que me reservam os próximos vinte anos. Ou dez… Ou cinco… Ou dois. Até dos próximos doze meses sei pouco, tendo apenas algumas linhas-guia, tais como, evidentemente, completar o primeiro ano de licenciatura com notas satisfatórias (assim de 18 para cima, estão a ver?, não estão?, deixem lá que eu também duvido disso) e andar num rodopio entre casa, faculdade, trabalho (possivelmente) e natação (mais vale aprender a nadar tarde do que nunca), sem muito tempo para namorar, para conviver com outros humanos ou para desbundar na cama até às dez da manhã, quanto mais até ao meio-dia.

Mas, vão-se lá compreender estas coisas, uma pessoa gosta é de fazer planos a loooooooongo prazo, dar largas à imaginação e saborear a promessa (ou ilusão) de que a vida nos correrá pelo melhor e será só seguir o rumo do vento! Portanto, aqui vai a minha lista actual de desejos e utopias para os próximos vinte anos… (Ou seja, não se tratando duma visão muito realista do que, provavelmente, vai acabar por acontecer.)

 

1. Terminar a licenciatura, arranjar um emprego decente e bem pago (quase) logo de seguida e ter dinheiro para fazer uns mestradozitos ou umas pós-graduações pelo meio (já nem falo em doutoramentos!);

 

2. Tirar a carta de condução, oh sim!, e arranjar um carrito para dar umas voltas;

 

3. Continuar a gostar muito da minha criatura mai’ linda e barbuda, e ele de mim, e…

 

4. Sair(mos) de casa dos papás (ou da avó) e arranjar(mos) um apartamento que tenha espaço para os todos os livros que ainda não terei comprado na altura, mas que virei a comprar, de certeza absoluta;

 

5. Escrever um livro, ou meia dúzia, que isto, se é para ter ambição, tem-se muita;

 

6. Ganhar dinheiro a escrever livros e/ou através de um salário decente num emprego desejável e bem-remunerado a que, entretanto, terei ascendido;

 

7. Casar e ter um número desconhecido, mas não muito elevado, de melgas (de preferência, inteligentes, bonitas e carismáticas) a correrem pela casa e a gritarem “OH MÃÃÃÃÃÃÃÃE, COLÁMOS PASTILHA ELÁSTICA À BARBA DO PAI E VAMOS TER DE A CORTAR TODA!!!!” – ná, estava só a brincar, isso seria bom demais para acontecer;

 

8. Por favor, por favor, por favor, nunca conhecer o desemprego na minha família!;

 

9. Ficar com o rabinho cheio de tanto viajar, sozinha ou acompanhada;

 

10. Não ganhar muitas rugas nem flacidez.

 

 

(I wish...)


Publicação baseada na pergunta "Como é que imaginas a tua vida daqui a 20 anos?", no Ask.

Achaque número dois

Como não tenho escrito quase nada por estes lados e como algumas pessoas me têm enviado uma ou outra questão em comentário, aqui fica o meu querido e prezado Ask, juntando o útil ao agradável, em que não responderei a perguntas do género "ex virgem?", "qntx já papaste damah?" ou "ex buedah feiah, dax-muh teu númaro?", mas sim ao que vocês muito bem entenderem, porque o Ask é isso mesmo, o que cada um quiser, e o meu é um Ask respeitável e cheio de classe em que só se pragueja em Inglês e em que há que respeitar as regras do bom português escrito, mesmo que seja em anónimo. Toca a puxar pela imaginação, surpreendam-me! Muito obrigada.

 

Jardinagem, só nos jardins!

Vamos directos ao assunto: porque é que as mulheres hão-de ter pelos? O que é que elas ganham com isso, principalmente em zonas tão estranhas como as axilas e a barriga? E nem me venham dizer que, na última, “é só uma penugem”, porque isso para mim é igual ao litro. Pelos na barriga é coisa que nem faz muito sentido nos homens, quanto mais nas mulheres. Tudo bem, até entendo que, mesmo a partir de um ponto de vista evolutivo, haja lógica nos pelos das partes baixas, que servem para nos proteger de hipotéticas bactérias e infecções (apesar de a medicina e os hábitos de higiene vigentes não justificarem tamanha preocupação da Mãe Natureza), mas, vá lá, respondam-me do fundo da vossa consciência: os pelos nas pernas têm algum objectivo que não seja crescerem selvaticamente e darem-nos cabo do juízo? E já me ia esquecendo do buço e do raio das sobrancelhas, coisas mais ridículas. Quer-se lá uma mulher com pelos desordenados na cara, que caraças…! Ah pois, e os homens que se desenganem, que até há mulheres que têm pelos nas mamas, em volta dos mamilos e cenas assim - pelos esses que os especialistas no assunto (tanto médicos quanto caixas de cremes ou cera depilatória) nem sequer aconselham a arrancar.

 

Sinceramente, sinceramente… preferia sofrer mais um bocado todos os meses com as dores menstruais do que me ter de dar ao trabalho de impingir, masoquistamente, a mim mesma, outro tipo de dor, durante o tão famoso (e angustiante) processo de depilação.

 

Digam não ao matagal feminino! Pode ser que a Mãe - desnaturada - Natureza ouça os nossos apelos... (A sério, qual é a mãe que deseja uma porcaria destas às suas filhas?) Jardinagem, só nos jardins!

11 perguntas


Recebi, mais uma vez, o Liebster Award (yeeey, fico contente por ser nomeada tantas vezes para este tipo de desafios), mas, como já o completei noutras vezes, fico-me apenas pelas novas perguntas que me colocaram.

Estas são da Maria. Obrigada!


1. Um escritor(a) que aprecies muito.

Gosto muito do José Luís Peixoto, em particular das suas crónicas pessoais.


2. Fala-me de uma personagem à tua escolha.
Não me recordo, de momento, de nenhuma personagem de que gostasse de falar.
Talvez me permitam referir a genial heteronímia de Fernando Pessoa, sendo os seus próprios poemas ortónimos brilhantes. Dizem que o homem era assado do miolo, mas não há mérito que não se lhe possa dar! Pode ter criado mais de 70 alter-egos distintos, pode ter estado demasiado à frente no seu tempo... Não deixarei de o admirar.

3. És a favor ou contra o aborto? Porquê?
Sou a favor, pois é uma alternativa muito mais humana ao posterior abandono das crianças ou, podendo até chegar a ser pior - aos maus-tratos ou à negligência.

4. Praticas algum desporto?
Pratico o "sentar o rabo na cadeira e procrastinar ao computador".

5. Acreditas em Deus? Porquê?
Acredito numa entidade superior e, sim, posso-lhe chamar Deus, mas não me identifico exclusivamente com os princípios de uma só religião. Acho que, no fundo, ainda não conheço nenhuma bem o suficiente para me considerar parte dela. Sinteticamente, acredito num Deus universal.


6. Um livro que marcou a tua infância.
Lembro-me de ler muito as bandas desenhadas da Disney, de alguns dos heróis da Marvel, da Mafalda... Ainda assim, acho que nenhum livro me marcou realmente até ter começado a ler Harry Potter. Shame on me...

7. Porquê um blog?
'Cause I'm an attention whore.

8. Preferes os livros ou ficas pelos filmes?
Prefiro os livros, não denegrindo os bons filmes que já vi até hoje.


9. Como é que ganhaste a tua última nódoa negra?
É capaz de ter sido a saltar no plinto, em Educação Física. Ou a tentar.


10. Séries que andas a seguir.
Savage U, a série (ou será reality show?) com que mais me identifiquei nos últimos tempos! Não é apenas mais um cliché da MTV, com swag fags e horny bitches à mistura. É fixe e educativo. Bazinga!


11. Um local fictício que gostarias que existisse.
Uma casa com apenas uma cozinha, um quarto, uma casa-de-banho e um jardim bonito, onde houvesse sol durante o dia e céu aberto para se ver as estrelas de noite. Alguma mobília e um computador, montes de folhas de papel e uma ou duas canetas de marca recarregadas. Inspiração à tona. E alguns amigos e família poderiam visitar-me de vez em quando - mas sem exagerar!

Mais ou outro "prémio"? - Liebster Award -

Fui presenteada pelo Tímido com o prémio Liebster Award. 

O prémio teve origem na Alemanha e tem como objectivo divulgar blogs com menos de 200 seguidores, blá blá, blá... Obrigada! Eu até que acho piada a estas patetices. Afinal, do que é que os patetas haveriam mais de gostar?

" AS REGRAS SÃO:

1. Postar 11 coisas sobre mim;


2. Responder às 11 perguntas que nos foram atribuídas;


3. Nomear 11 blogs com 200 ou menos seguidores, colocar o link do blog e avisar sobre o prémio;


4. Fazer novas 11 perguntas aos blogs nomeados.



Então, vamos lá embora... Vocês já me devem conhecer melhor do que eu a mim mesma, mas aqui vai disto...

  1. O meu namorado é o mais divertido de todos os tempos, o mais descontraído, o mais simpático, o mais racional, o mais-mais. E não, não sou como uma certa cadeia de supermercados que "iguala a oferta se encontrar mais barato" (neste caso, melhor). Este já é meu, arranjem outro.
  2. Caramba, está mais frio dentro da minha casa do que lá fora! Desta exclamação, poderão concluir que sou friorenta. Mais ou menos.
  3. Detesto jogar futebol, à semelhança de 4/5 da população humana do sexo feminino deste mundo.
  4. Por oposição, adooooooooooro jogar voleibol!
  5. Sou perfeccionista...
  6. ... mas tenho quase sempre o quarto desarrumado.
  7. Por vezes, dou numa de gritinhos histéricos e guinchos suspeitos.
  8. Gosto de misturar açúcar às pipocas salgadas que se preparam no microondas.
  9. Amanhã, quando voltar ao dentista, vou meter elásticos cor-de-rosa (ou de outra muito berrante) no aparelho.
  10. Gosto de ler quando acordo.
  11. O meu primeiro interesse amoroso foi o Daniel Radcliffe.
PERGUNTAS:

1. Tens carta?
Suponho que seja referida a de condução. Então, não. Nem tenho idade para a ter.

2. Qual o teu maior sonho?
Aquele em que a minha professora de Francês transformou o meu namorado num escaravelho. 

Ah, não era desses...

3. Qual o momento mais feliz da tua vida?
É com muita satisfação e orgulho que respondo que, durante a minha curta vida, já tive muitos momentos de rebentar de felicidade.

4. Quais as coisas que mais prazer te dão(e não, não é nesse sentido)?
Quão cliché seria se eu dissesse que é estar com as pessoas de quem gosto e partilhar umas boas gargalhadas...? E ler. E escrever. E ouvir música. E cantar.

5. O que mais te assusta?
Não ter, no futuro, alguém com quem partilhar as minhas patetices.

6. Quem não imaginas fora da tua vida?
A minha família e pouco mais.

7. De quem sentes mais falta?
Da minha cama, nove horas por noite.

8. Qual é o teu prato favorito? 
Carne de porco à alentejana, qualquer coisa com massa...

9. E qual é o que não consegues comer?
FÍGADO!

10. Tens animais de estimação?
Três cães, dois gatos e uma tartaruga. Os meus amigos não devem servir para efeitos de contagem. 


11. O que te levou a criar o Blogue?
Encontrar outros patetas para nos juntarmos a procrastinar.

***


Contudo, dado que recentemente já completei um destes inquéritos, não vou passar o testemunho a ninguém nem fazer perguntas (ou talvez as faça mais tarde, noutra publicação).
Au revoir, que vou ter aula de Franciú.

As 8 escolhas de Beatriz

Ouvi falar do "Escolhe ou Morres" no PONL e decidi que seria a procrastinação matinal perfeita. Eis os resultados de algumas das questões colocadas:

Mal por mal, lê-se o nacional!

Bitch please, esta não foi, decerto, uma pergunta minimamente difícil...!

É incrível como, em pleno século XXI, ainda existem preconceitos sexuais. Pelos vistos, continua a haver quem prefira passar por drogado do que por homossexual. Para mim, segundo os meus valores morais, isto é um insulto à humanidade.

Afinal, já somos todos mais ou menos pobres. Só falta a parte de sermos sensuais.

A pergunta mais TROLOLOL da lista.

Sendo eu uma idealista nata, preferia mesmo ter amor e um palácio. Agora ódio é que dispenso!

A questão não envolvia nada relacionado com a publicação desse vídeo, certo? Então, pronto.

Na verdade, isto já me aconteceu, para aí aos oito anos. Depois de uma descarga de gás um bocado para o descontrolada, passei o dia na escola com um depósito de cocó nas cuecas. Ah, e lembro-me que tinha uma mini-saia vestida, sem collants, salvo-erro. É, para mim, um mistério, como ninguém chegou a descobrir.