Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

moda, moda, moda

A moda é relativa. Sim, para mim, é. Na minha perspectiva, é. De acordo com o que vejo, é. Uma coisa são tendências, outra coisa é a moda. Quase ninguém está na moda, por muito que se regozije a gritar aos ventos sobre a sua sabedoria no assunto, "as rendas estão na moda, as cores vivas estão na moda, as sandálias assim e assado estão na moda", pois eu aposto todos os meus dentinhos em como essa certa pessoa continua a usar aquele vestido com folhos que comprou no ano passado (à parte a minha humilde ignorância, julgo que esta Primavera/Verão tal já é considerado démodée). Tudo isto para concluir que a moda é um mito muito feio, um pretexto para andarmos a comprar aquelas roupas novas, lindíssimas, segundo as tendências, essa perdição de rendas, folhos, cores, tecidos, texturas, blá, blá, blá.... E que ninguém nos censure, porque pelo menos andamos bonitinhos e arranjadinhos e ficamos com a auto-estima em alta!

irónico

   Já há uns dias, desde que começou a fazer sol A SÉRIO, com temperaturas superiores a vinte graus, que ando a pensar em escrever qualquer coisa sobre isso. Quer dizer... passámos de vestir CAMISOLAS DE LÃ DE GOLA ALTA e CASACÕES DE DUAS TONELADAS para, agora, vestirmos T-SHIRTS e CASACOS LEVEZINHOS.


   Mas, de repente, não é que cai um dilúvio, surge uma tempestade que mais parece vinda de um qualquer fenómeno tropical e os trapinhos primaveris que decidimos vestir por causa do solinho bom tornam-se alvos facilmente derrotados pela carga de água que levamos em cima? Onde andam os chapéus de chuva, quando mais precisamos deles? Ninguém os tem, todos os querem e os pré-adolescentes (aka turmas do 5º, 6º e 7º ano) gritam que nem loucos, histerizados pelo ribombar dos trovões e pelos raios súbitos e alarmantes. A multidão agita-se, encolhendo-se no minúsculo bar da escola, os decibéis triplicam e a minha cabeça lateja de dor. A electricidade falha de vez em quando e o frio inesperado piora as minhas dores musculares (não pratiquem desporto sem aquecerem primeiro!).


   Foi uma tarde interessante.