Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Os filmes não-anglófonos também são o máximo

Libre et Assoupi, de 2014 (em inglês Nice and Easy, mas o que quer mesmo dizer é "livre e ensonado") - eu e o Ricardo fomos ver este filme durante o Festival de Cinema Francês, em Setúbal, no dia 13. Saímos de lá de rastos, de uma maneira óptima. Foram duas horas excelentes, em que este filme, super cómico, que aparentva ser apenas mais uma comédia de trazer por casa, se revelou um potente instrumento de introspecção. Tanto eu como o Ricardo recomendamo-lo a todas, mas mesmo todas as pessoas - principalmente àquelas que ainda não deram um rumo à sua vida e que procuram inspiração.

 

No Se Aceptan Devoluciones, de 2013 - este segundo filme mexicano é uma recomendação minha - ainda assim, não com menos valor! Descobri-o no Wareztuga (onde o podem encontrar) e é o que eu chamo uma "comédia de lágrima no olho". Se são de choro fácil, vão sofrer com este filme. Tal como a sugestão anterior, parece que é só para rir e mais nada, mas não. Aborda temas bastante polémicos como os direitos paternais de uma mãe ou pai face aos seus filhos, o amor que os une, casos de abandono... E tem um desfecho nada previsível.

 

Dito isto, a sério: apostem um bocadinho nos filmes fora do circuito anglófono, isto é, ingleses, norte-americanos, canadianos, australianos... Para mim, essa indústria está um bocado estagnada, lançando filmes muito parecidos entre si, sempre com enredos semelhantes, um bocado previsíveis, sem novidade. Por isso é que, de vez em quando, sabe bem entrar em contacto com outro tipo de cinema, nem que seja apenas para arejar as ideias.

 

E, se tiverem sugestões de filmes que eu deva ver, por favor, sugiram-nos para aí!

Dream inception - o triste desfecho

Depois de lhe contar acerca das minhas aventuras nocturnas, a minha avó (a real, não a do sonho) disse-me que, com tanta especulação inconsciente acerca das raspadinhas, era melhor eu passar pela papelaria com que tinha sonhado, a da estação de comboios, e jogar uma depois de vir da faculdade - só por descarga de consciência, não fosse o sonho consistir nalgum palpite camuflado de uma entidade superior com a estranha vontade de me endinheirar (c'mon, eu mereço e vocês bem sabem, cof cof). Infelizmente, não tinham raspadinhas de 2€, como as do sonho. Só havia um único tipo, das de 1€.

 

Óbvio que não ganhei nada. Continuo euzinha: universitária, sem dinheiro e com azar ao jogo - porém, com muita sorte ao amor, à amizade e à quantidade de ligações nervosas. Sou uma espécie de Floribela, sem a parte das flores e das músicas foleiras: rica em sonhos, mas pobre em ouro.

Dream inception

Esta noite foi para sonhar. Neste caso, sonhei demasiado.

Sonhei que tinha ido às raspadinhas de 2€. Raspei uma e saiu-me um prémio de 120 000€. Mas, depois, sonhei que acordei e que era só um sonho: ainda estava à porta da papelaria. Então, viro-me para a minha avó e digo-lhe "tenho um pressentimento de que vou ganhar um grande prémio se raspar aquela raspadinha que está ali". E raspei. E lá consegui o prémio de 120 000€. Já estava eu a pensar que ia conseguir pagar todos os meus estudos (e mais alguns) e acabar de liquidar o empréstimo da casa, a contar à minha avó o sonho de onde tinha vindo o tal pressentimento, quando acordo. E tive, OUTRA VEZ, exactamente o mesmo sonho. Pronto, esse foi o último sonho, dentro do sonho que estava dentro do sonho, mas acho que ainda voltei a adormecer a acreditar que a minha conta bancária tinha ganho mais uns zeros.

 

O mais estranho foi, em todos os sonhos, estarem a pagar-me o prémio das raspadinhas em boletins limpos do Euromilhões. Sonhos...

dos outros #14

"Vais ter sempre gente que vai dizer mal das tuas paixões. A verdade é que parte deles, no íntimo, vai desejar que tu falhes. [...] Na pior das hipóteses vais-te embora deste mundo sem um grande arrependimento. E uma das maiores vantagens é que não te tornas no tipo de pessoa que não compreende quando alguém te fala do que é capaz de fazer por aquilo em que acredita."

Blogue O Mundo Hipotético dos Ses

dos outros #14

"Vais ter sempre gente que vai dizer mal das tuas paixões. A verdade é que parte deles, no íntimo, vai desejar que tu falhes. [...] Na pior das hipóteses vais-te embora deste mundo sem um grande arrependimento. E uma das maiores vantagens é que não te tornas no tipo de pessoa que não compreende quando alguém te fala do que é capaz de fazer por aquilo em que acredita."

Blogue O Mundo Hipotético dos Ses

tenho sono!

Deitei-me à uma e meia para acordar às sete, dormi cinco horas e meia. A boa notícia é que me consegui levantar mal o despertador tocou, a má é que lavei os dentes com a escova do meu pai. Lição que vos tento incutir: não deixem de dormir as vossas sete horinhas diárias só porque um amigo vosso está na lama por motivos do coração e vocês se sentem quase que obrigados a elevar-lhe a moral, a menos que, tal como eu, não se importem de ficar meio adormecidos o resto do dia.

estrambolicidades

Hoje, por exemplo, sonhei que um rapaz que esteve romanticamente interessado em mim vinha a uma festa de pijama (a que mais ninguém compareceu) que organizei em minha casa (um prédio inteiro, daqueles antigos, como na Baixa lisboeta... coisa de sonho, é claro) e que se instalava lá de malas e bagagens. Começou a pressionar-me para que eu ficasse com ele (ai, ai), quase até ao ponto de me bater (estúpido). Foi aí que liguei a um dos meus melhores amigos a pedir que me viesse socorrer, fingindo ser meu namorado. Ele apareceu num instante e abraçou-me apaixonadamente (pahaha), impondo-se, pelo que o outro não viu outra alternativa senão ir-se embora, de comboio, porque, afinal, o prédio onde eu vivia também era uma estação ferroviária. Fim.

eu quero... e quero... e quero... OH 'PÁ, QUERO TUDO!


Eu nem costumo ser muito de florinhas e padrões do género, mas abro uma excepção para esta saia...




... mais esta...





... e para este vestido, pronto.




Já agora, também acho necessário dar uma oportunidade às rendinhas todas pipis...




... aos tons dourados e aos ténis de marca (feitos por crianças, segundo me consta).





Para acabar, fimaginando que o meu quarto não tem tecto rebaixado por ser no sótão, nem nada, vou pôr-me a sonhar com este beliche mega funcional, mega original, mega-EU-QUERO-EU-POSSO-EU-MANDO.