Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Como atender chamadas indesejadas de call center

Estou a falar com a Srª D. X?

Querem saber como atender chamadas indesejadas de call center, mantendo uma postura correcta, mas assertiva?

 

Até trabalhar num call center, nunca entendi na minha cabecinha que quem nos falava do outro lado da linha, a tentar vender-nos ou a convencer-nos sobre qualquer coisa, também era um ser humano. Aliás, nunca cheguei sequer a intelectualizar o assunto. As chamadas publicitárias, para questionários, para nos oferecer o último tarifário mais cool eram lixo e despachadas com um tchauzinho breve, que eu raramente me interesso por essas campanhas com abordagem telefónica (antes, hoje e quase sempre).

No entanto, depois de ter trabalhado durante três meses na porcaria de uma empresa de call center, a minha perspectiva alterou-se drasticamente. Continuo a irritar-me com tanto telefonema acerca da mesma campanha, continuo a achar que o contacto é demasiado violento e forçado. Mas já não culpo o operador que, coitado, lá anda a penar em representação de um gigante capitalista, género empresas de telecomunicações. Penso sempre "ok, vou tentar facilitar a vida a este bacano, facilitando a minha também". Agora, até me divirto um bocadinho, quando lhes ataco as defesas todas, que já conheço de gingeira.

 

1º - Atender pacientemente as chamadas, perceber se já sabemos qual o objectivo do contacto, se é algo que nos possa potencialmente interessar (acontece, não é?).

 

2º - No caso de não estarmos interessados: Ouça, eu já sei dessa campanha há meses porque sou uma pessoa informada. Além disso, já trabalhei num call center e sei que tem aí uma opção ou um botão no seu formulário que diz "Não estou interessado.", ponto final, ou mesmo com outras justificações. Está a ver? É mesmo aí que tem de clicar.

 

3º - No caso de o 2º procedimento não funcionar: repeti-lo até ser seguro que clicaram mesmo lá no botão e que vocês esterão salvos... até à próxima campanha, pelo menos.

 

4º - No caso de o 3º procedimento não funcionar: ameaçar chamar o chefe de equipa ou o supervisor, ou mesmo ligar para "instâncias superiores".

 

5º - No caso de nenhum dos procedimentos anteriores, desejar um bom dia, uma boa tarde ou uma boa noite, desligar delicadamente e esperar pela próxima picada. Oh, oh, que ela há-de chegar! No serviço onde eu trabalhei, cada campanha dava direito a um máximo de seis!

 

Quem sabe do que fala e vos avisa vossa amiga é, com certeza! Sei a dor que é, tanto realizar quanto atender estas chamadas de call center. E detesto ambas as experiências. Ultimamente, então, tenho recebido demasiadas, com demasiada frequência.

Sem contrapartidas, interesseirices nem outras chatices

Gente do meu blogue!

 

Sem vos pedir nada em troca, sem pedir que me divulguem o blogue, sem pedir que me cocem a barriga nem que me ofereçam almoços no McDonalds, tenho a oferecer-vos cartões do tarifário WTF, da Optimus, com UM ANO de mensalidade paga. Nem sequer é preciso mudarem de número, é possível manterem o vosso, sem qualquer complicação.

 

Portanto, este tarifário...

  • destina-se a menores de 25 anos, com activação através do número de BI ou de CC;
  • tem 500mb de Internet por mês;
  • tem 500 créditos para gastar por mês (1 crédito=1sms/mms/minuto de chamada/minuto de videochamada);
  • tem tráfego ilimitado no que toca às aplicações Skype, Facebook e Blackberry Messenger, Viber e WhatsApp.

 

Se estiverem interessados, basta deixarem um comentário ou enviarem-me uma mensagem através da caixa lateral do blogue com o vosso nome, a vossa morada e o vosso e-mail. E quanto mais depressa melhor, porque estes cartões só podem ser activados até ao fim de 2013.

 

 

Em parceria com a Forum Estudante.

Giveaway da Charlotte.

a UZO devia ter mensagens grátis!

Esta está a ser aquela noite em que vou para a cama antes das 22h, até que os meus amigos se lembram de combinar a tarde do dia seguinte a partir das 23h, porque o que tem de ser tem muita força. Sou, simplesmente, muito corajosa, por me levantar da cama de propósito para vir ao computador, esse extremamente conhecido estimulador de células cerebrais. Só espero conseguir voltar a adormecer, depois disto tudo.

"onde estás, telemóvel?"

   Desde ontem à tarde que não sabia onde o tinha deixado. Uma vez que não sou uma pessoa de telemóvel, nem me preocupei.


   Ao meio dia e cinquenta e três, ouvi-o receber uma mensagem. Onde estás, onde estás?, perguntei, mentalmente. Vasculhei malas, casacos, armários e cadeiras, procurei no quarto, na sala e até na cozinha.


   Por fim, decidi-me a ligar de casa para o meu número. O telefone fixo dava sinal de chamada (pip... pip... pip), mas não conseguia ouvir o toque do telemóvel do sítio onde estava. Subi as escadas - talvez tivesse caído para dentro de uma gaveta ou para debaixo de um móvel qualquer. Não, não estava no quarto, não estava no escritório. Porém, ouvi-o lá fora, pelas janelas abertas. Onde estás, onde estás? Na cadeira de baloiço do jardim, debaixo do sol ameno da manhã, o aparelho a escaldar, depois de uma noite gelada, húmida e ventosa. No meio disto tudo, apenas dou graças por não ter sido ruído por nenhum dos meus seis cachorros.

adoro...

... quando as redes telefónicas alteram os tarifários (aumentando-os, claro), afinal não têm as devidas informações no respectivo site da Internet e ainda avisam que, "para mais informações", devemos telefonar para o número tal - uma CHAMADA PAGA, como não poderia deixar de ser.