Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Procrastinar Também é Viver

Blogue sobre trivialidades, actualidades e outras nulidades.

Um livro para a auto-reflexão: "O Homem em Busca de um Sentido" (Viktor E. Frankl)

24.12.18 | BeatrizCM

LRM_EXPORT_121507468919699_20181224_091923083.jpeg

 

Este texto demorou, mas chegou! Gostei muito do livro O Homem em Busca de um Sentido (escrito depois da Segunda Guerra Mundial pelo psiquiatra e neurologista Viktor E. Frankl), já que a procura de sentido interessa a provavelmente toda a gente e porque... Bem, porque também precisei de escrever sobre o tema para a faculdade!


Decidi que um dos trabalhos para este semestre de mestrado seria sobre o trauma representado na escrita autobiográfica de Primo Levi, em Se Isto é um Homem. Já escrevi sobre ele e, na sequência dessa leitura, acabei por pegar neste - na medida em que quis reflectir sobre a partilha do testemunho narrativo como forma de ultrapassar um trauma ou dar sentido ao sofrimento da vítima, anteriormente passiva, que através da escrita ganha um papel activo de testemunha. Mas não divaguemos demasiado! 


O Homem em Busca de um Sentido também é, em parte, uma narrativa autobiográfica, e a primeira metade desvenda-nos mais um pouco sobre o que era a vida nos campos de concentração nazis, desta vez dum ponto de vista mais psicológico, quiçá emocional, mas nem por isso menos fiel ao que o autor, o Dr. Frankl, terá passado. Antes pelo contrário, o rigor científico é mantido tanto quanto possível nas suas observações, já que o próprio livro foi escrito com o intuito de informar o mundo desta parte da nossa História Europeia recente.


Outro dos objectivos é, obviamente, a explicação da logoterapia, na segunda metade do livro. A logoterapia é um método de psicoterapia desenvolvido pelo próprio Viktor E. Frankl antes, durante e após a Segunda Guerra Mundial - ou seja, durante toda a sua vida. Nem quando esteve preso deixou de pensar nela!

 

IMG_25611223_224139.JPG


Frankl dedicou a sua carreira a ajudar os seus pacientes a recuperar o seu logos, ou o seu sentido/propósito, de modo a superarem depressões, fases de luto ou mesmo traumas. A logoterapia é a terapia pela procura e identificação dum propósito na vida do paciente. O próprio Frankl refere que o que o salvou e o manteve vivo durante a guerra terá sido a vontade de concretizar o trabalho que começara antes de ser capturado, uma vez que a primeira versão do livro que andava a escrever fora confiscada quando ele dera entrada no primeiro campo de concentração. Mas, mesmo assim, mantinha a esperança de o reescrever depois da sua libertação! Até foi tirando notas em escrita estenográfica em pedaços de papel. 

 

Em geral, a mensagem deste livro é que, sejam quais forem as condições em que sintamos desmotivação ou desorientação, procurar um sentido, propósito ou objectivo ajuda-nos a planear o futuro e a torná-lo mais visível e atingível, devolvendo-nos o entusiasmo de o perseguir. 


Este é um livro com algumas décadas que ainda se mantém actual, é um livro para quem gosta de psicologia, ciência popular, histórias trágicas que acabam bem, o tema do Holocausto e do aperfeiçoamento e desenvolvimento pessoal, sob quaisquer condições. É um livro com uma mensagem de esperança, recuperação, que raia a escrita científica e a autobiográfica, que enche as medidas dos cépticos, dos crentes e dos assim-assim. Ainda por cima, é curtinho e lê-se numas horas.


Boas leituras procrastinadoras (e sempre com um sentido, pois claro)!

1 comentário

Comentar post